UNIÃO BRASIL CONFIRMA MORO COMO CANDIDATO AO SENADO E APOIO A RATINHO JUNIOR

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O União Brasil oficializou nesta terça-feira (02/07) a candidatura do ex-juiz Sergio Moro ao Senado pelo Paraná e o apoio à reeleição do governador Ratinho Júnior (PSD). Durante a convenção, em Curitiba, Moro minimizou o fato de Ratinho Jr ter declarado apoio à candidatura a senador do deputado federal Paulo Martins (PL), aliado do presidente Jair Bolsonaro (PL). O ex-juiz alegou que seu partido não depende do governador para ter sucesso nas urnas de outubro. As informações são do Bem Paraná.

“A gente não precisa do governador para ser um grande partido. Eu não preciso do governador para colocar minha candidatura. Respeito a preferência dele. O União Brasil está na coligação do governador, estamos ajudando na reeleição, mas caminhamos de forma independente para construir um Paraná melhor para cada pessoa”, alegou Moro. Além do ex-juiz e de Paulo Martins, a coligação que apoia Ratinho Jr inclui ainda, por enquanto, mais dois candidatos ao Senado: o deputado estadual e ex-chefe da Casa Civil, Guto Silva (PP) e o ex-governador Orlando Pessuti (MDB).

Moro começou a corrida eleitoral se filiando em novembro ao Podemos, na esperança de disputar a Presidência da República. Sem espaço no Podemos, porém, ele acabou migrando em março para o União Brasil.

O novo partido também negou a legenda ao ex-juiz para que ele tentasse chegar ao Palácio do Planalto, oferecendo inicialmente uma candidatura ao Senado ou a deputado federal por São Paulo. Depois que a Justiça de São Paulo rejeitou o pedido de transferência do domicílio eleitoral de Moro, ele foi obrigado a voltar ao Paraná para concorrer ao estado de origem.

O partido de Moro chegou a lançar o deputado federal Luciano Bivar (PE) como candidato à Presidência, mas após a desistência do dirigente, ontem, anunciou a candidatura da senadora Soraya Thronicke ao cargo.

Fogo amigo
De volta ao Paraná, Moro pode ter que disputar o cargo com seu ex-aliado, o senador Alvaro Dias (Podemos), que até agora não definiu se vai concorrer à reeleição ou não. O ex-juiz também minimizou essa possibilidade. “Não está certo ainda que o Alvaro Dias vai concorrer à reeleição. A gente respeita ele e, se acontecer (a candidatura de Alvaro) vai ser um debate no alto nível. A gente não tem mentira, fake news, golpe baixo. A gente tem que construir uma nova forma de fazer política. Ninguém entrou aqui para ganhar a qualquer custo. A gente quer ganhar a eleição, sim. Acho que o Paraná precisa ter uma voz independente e forte lá no Senado, mas ninguém vai jogar baixo não”, alegou.

O advogado Luís Felipe Cunha foi escolhido como primeiro suplente de Moro. A segunda suplência ficará com o empresário Ricardo Guerra, da região Sudoeste do Paraná, irmão do deputado estadual Luiz Fernando Guerra (União).

Do Bem Paraná.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *