TSE NEGA RECURSO E MANTÉM CASSAÇÃO DO MANDATO DE FERNANDO FRANCISCHINI

Foto: Orlando Kissner/ALEP

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou um recurso impetrado pela defesa de Fernando Franchischini (PSL) e manteve a cassação do mandado de deputado estadual do Paraná. Acusado de ter propagado informações falsas sobre a urna eletrônica e o sistema de votação durante as eleições de 2018, Francischini foi o parlamentar mais votado na história do Paraná, com 427.749 votos na eleição passada. As informações são do Bem Paraná.

Anteriormente, o TSE já havia condenado o político no final de 2018, na primeira vez em que o tribunal tomou uma decisão relacionada a um político que fez ataque às urnas eletrônicas. Além de perder o mandato, Francischini também ficará inelegível por oito anos e os votos que recebeu foram anulados.

O político paranaense foi alvo de investigação após afirmar em suas redes sociais, sem apresentar provas, que as urnas eletrônicas foram adulteradas para impedir a eleição do presidente Jair Bolsonaro, durante o primeiro turno das eleições de 2018. Na ocasião, o Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Paraná fez auditoria nas urnas e constatou que elas estavam com funcionamento normal, sem indícios de fraude em seu sistema.

Agora, o ex-deputado deve recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) por meio de um agravo. Francischini já declarou publicamente que pretende ser candidato nestas eleições pelo Paraná – a esposa dele, Flávia, é vereadora em Curitiba e o seu filho, Felipe, é deputado federal.

Do Bem Paraná.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *