TOQUE DE RECOLHER NO PARANÁ TERMINA NESTA QUINTA-FEIRA, MAS PODE SER PRORROGADO

TOQUE DE RECOLHER NO PARANÁ TERMINA NESTA QUINTA-FEIRA, MAS PODE SER PRORROGADO

Quando os número de novos casos e óbitos pela Covid-19 voltaram a subir no Paraná a partir de meados de novembro, o governo do Estado decidiu endurecer as medidas de prevenção. A mais enfática delas foi o decreto que estabeleceu a limitação de horário para circulação de pessoas no período noturno, o chamado “toque de recolher”. O decreto começou a valer no dia 2 de dezembro, e tinha prazo de vigência é de 15 dias, prorrogáveis ou não. Ou seja, na próxima quinta-feira (17/12), o governo decide se prorroga ou não o decreto. As informações são do Bem Paraná.

O decreto estadual foi acompanhado por decretos municipais, especialmente na Grande Curitiba, onde os municípios, além de aderir ao toque de recolher, também emitiram ou retomaram normas do período mais crítico da doença.

Curitiba, em bandeira laranja, fez por dois domingos seguidos a suspensão da maior parte das atividades, incluindo supermercados, shoppings e restaurantes, que puderam atender apenas em modelos delivery e drive thru. Essa medida valia para os últimos dois domingos, mas também deve passar por nova avaliação da saúde. O decreto de Curitiba é do dia 4 de dezembro com validade por 14 dias.

Novembro e dezembro registram cerca de 30% de todos os casos no Estado
Há nove meses os primeiros casos de Covid-19 foram confirmados no Paraná. No sábado passado foi a data que fechou este período dos primeiros registros no Estado, quando foram divulgados seis casos. Os casos cresceram gradativamente e o pico teria ocorrido supostamente em agosto, com estabilidade dos casos nos meses que se seguiram.

Entretanto, o relaxamente de medidas de prevenção, como o isolamento social, resultou em uma curva ascendente e preocupante. Somente em novembro e nos 11 primeiros dias de dezembro – até esta sexta-feira passada – o número de casos é maior do que o acumulado nos primeiros cinco meses da pandemia no Estado.

Foram 98.329 diagnósticos em 41 dias, quase um terço do total (30,7%) de todo o período, que somou 320.088 diagnósticos positivos.
De 12 de março a 31 de julho (142 dias), o Estado registrou 83.690 diagnósticos positivos da doença e 2.113 mortes. De 1º de agosto a 11 de dezembro (133 dias), foram 236.398 testes positivos, com a ocorrência de 4.530 óbitos devido a complicações da doença.

RMC tinha 82 pacientes na fila da Saúde
A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná divulgou nota informando que até as 11h08 de sábado (12/12) a Regulação de Leitos Estadual (CARE) contabiliza 81 pedidos de transferência para leitos Covid-19 (casos suspeitos e/ou confirmados). Sendo, 13 para UTI e 68 para enfermaria e 13 para UTI.

Além disso, a Regulação de Curitiba e Região Metropolitana (CLIC – Metropolitana) possui a mais 82 pedidos, sendo 25 de UTI e 57 de enfermaria. Ao todo, eram 163 pedidos de internação por Covid à espera na fila no Estado.

Falando sobre a evolução dos casos no Paraná nas últimas semanas, o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto lembrou que o Paraná atravessa seu pior desafio. “Estamos no limite de leitos, realizando o máximo de exames por dia, as equipes estão exaustas, a rotina dentro de uma UTI Covid é mentalmente desgastante e fisicamente cansativa”, disse.

O Estado ativou 2.876 leitos exclusivos para Covid-19 no período. Destes, 1.120 de UTI adulto, 22 UTI pediátrica, 1.700 enfermaria adulto e 34 leitos de enfermaria pediátrica. Em nove meses foram mais de 20 mil internações.

“O Paraná enfrenta o maior desafio da história. O País e todo o mundo estão na mesma situação. Precisamos que todos colaborem para que possamos dar suporte médico e hospitalar a todos que precisem. Não gostaríamos de ver em nosso território situações vividas por outros locais pela falta de leitos”, reitera Beto Preto.

Curitiba pode atingir os 100 mil casos e 2 mil mortes por Covid nesta semana
Uma triste marca deve, muito provavelmente, ser atingida por Curitiba: a de 100 mil casos confirmados e duas mil mortes pela Covid-19 desde o início da pandemia. No sábado (12/12), o boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde trazia mais 14 mortes e 913 novos casos de Covid-19, totalizando até sábado 1.957 mortes e 96.220 casos.

No ritmo dos casos médios desde o final de novembro, quando foram sempre mais de mil casos diários de infecções e mais de dez óbitos todos os dias, até o final de semana as marcas simbólicas devem ser alcançadas na Capital.

Já o total de casos ativos na cidade era de 13.512. Esse é o número de pessoas com potencial de transmissão do vírus.

Foto: Daniel Castellano / SMCS

Do Bem Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *