PARANÁ LANÇA PROGRAMA PARA ACOLHER CIENTISTAS UCRANIANAS EM UNIVERSIDADES

Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

O Governo do Paraná, por meio da Fundação Araucária e da Superintendência Geral da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), deu início na sexta-feira (18/03) ao Programa de Acolhida a Cientistas Ucranianas. O objetivo desta iniciativa é acolher e integrar as cientistas do país europeu na comunidade paranaense, além de manter em alta o papel da ciência e da inovação mesmo em tempos de guerra. As informações são da AEN.

“O Paraná é a casa dos ucranianos no Brasil, tem uma conexão muito forte com essa cultura. Nesse momento é importante estarmos abertos para receber os refugiados. Com o Programa de Acolhida a Cientistas Ucranianas procuramos demonstrar isto também pela vertente da ciência e da Academia”, ressaltou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

O principal objetivo do programa é o recrutamento de cientistas das universidades ucranianas para desenvolverem suas pesquisas nas universidades sediadas no Paraná por um período de até dois anos, em um primeiro momento. O Estado espera receber até 50 pesquisadoras que possuam titulação de Doutorado e que estejam ou estavam atuando nas universidades sediadas na Ucrânia para o desenvolvimento de projetos de pesquisa.

Segundo a Fundação Araucária, o Programa de Acolhida a Cientistas Ucranianas terá fluxo contínuo. Ele atende apenas mulheres porque os homens estão proibidos de deixar o País.

As informações sobre o programa chegarão até as cientistas ucranianas por meio da Fundação Araucária, da Superintendência Geral da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Embaixada da Ucrânia no Brasil, Ministério de Relações Exteriores, Humanitas Brasil Ucrânia, universidades paranaenses, universidades parceiras das Instituições de Ensino Superior (especialmente as de países com fronteira com a Ucrânia), Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Associação Brasileira de Educação Internacional (FAUBAI) e Cáritas.

INSCRIÇÃO – As candidatas interessadas deverão encaminhar as suas propostas em até duas laudas, em ucraniano, português ou inglês, contendo a sua intenção de projeto. As propostas deverão explicitar a área, metas e objetivos.

Além disso, deverão encaminhar um vídeo de até três minutos explicitando o que gostariam de desenvolver. O vídeo pode ser gravado com o próprio celular, na horizontal, do busto para cima.

A seleção será realizada pelos representantes indicados das Pró-Reitorias de Pesquisa e Pós-Graduação das universidades sediadas no Paraná que estejam aptas a receber as pesquisadoras. A Fundação Araucária e a Seti assegurarão a política de acolhimento.

BOLSAS – As pesquisadoras receberão uma bolsa de R$ 10.000,00, na categoria Professor – Visitante Especial (PVE). Além disso, complemento no valor de R$ 1.000,00 para cada dependente abaixo de 18 anos e/ou ascendente acima de 60 anos tendo, como limite máximo três complementos de R$ 1.000,00 a cada pesquisadora selecionada.

Além da bolsa de PVE, a Fundação Araucária contemplará a selecionada e seus dependentes, quando houver, com as passagens aéreas de vinda ao Brasil e retorno à Ucrânia. Como apoio à comunicação linguística para interação com o Estado, o programa Paraná Fala Idiomas oferecerá, gratuitamente, cursos de Português como Língua Adicional a fim de auxiliar na inserção linguística e cultural das pesquisadoras e respectivos dependentes.

Mais informações pelo e-mail internacionalizacao@fundacaoaraucaria.org.br.

Da AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *