MAIS DE 20 PESSOAS FURARAM FILA DA VACINA CONTRA COVID, DIZ FALSA ENFERMEIRA

MAIS DE 20 PESSOAS FURARAM FILA DA VACINA CONTRA COVID, DIZ FALSA ENFERMEIRA

A Assembleia Legislativa do Paraná, através dos deputados que integram a Comissão Especial que apura possíveis irregularidades na vacinação contra Covid-19, informou que a falsa enfermeira de Apucarana, Silvânia Regina Ribeiro Del Conte repassou que era comum a imunização de pessoas de fora do grupo prioritário.

A investigada disse durante depoimento que mais de 20 pessoas, com até 40 anos de idade, foram vacinadas no esquema, que seria comandado por um servidor já afastado.

Sobre o fato de estar trabalhando voluntariamente como enfermeira sem formação, ela disse que jamais foi questionada no posto em que prestava serviços sobre isso.

De acordo com o MP, ela foi admitida sem qualquer cuidado, já que não tem formação na área. A Comissão vai apurar o caso.

Participaram da reunião os deputados Delegado Francischini (PSL), presidente da Comissão, Delegado Jacovós (PL) e Arilson Chiorato (PT). “Nosso objetivo é ouvir o caso conhecido como o da ‘falsa enfermeira’. A Comissão tem missão de interligar informações entre os órgãos do Estado que investigam esses casos. Temos mais de 800 denuncias de fraudes em fila de vacinação”, afirmou Francischini.

Membros – Além dos participantes, também são titulares da comissão os deputados Hussein Bakri (PSD), Tiago Amaral (PSB), Michele Caputo (PSDB) e Nelson Justus (DEM). Os suplentes são Emerson Bacil (PSL), Artagão Junior (PSB), Paulo Litro (PSDB), Tadeu Veneri (PT), Anibelli Neto (MDB) e Galo (PODE).

O CASO:
A Polícia Civil de Apucarana, no norte do Estado do Paraná, apreendeu na tarde de sábado, 15, ampolas de vacinas contra covid-19 na casa de uma falsa enfermeira suspeita de ter desviado o material de rede pública de saúde para vender as doses a pessoas que não fazem parte do público alvo da campanha. Na casa da mulher, que se apresenta como técnica em enfermagem, foram apreendidos também carteirinhas de vacinação, celulares e seringas.

A mulher foi presa e encaminhada a 17 Subdivisão Policial de Apucarana. O mandado de busca e apreensão na casa da detida atende a pedido do Ministério Público do Paraná, por meio da 2ª Promotoria de Justiça, que abriu investigação após receber denúncia do vereador Lucas Leugi. A mulher trabalhou como voluntária na campanha de vacinação contra covid-19 até ser afastada após ser alvo das denúncias. O vereador apresentou indícios que apontam que a falsa enfermeira teria atuado como voluntária para desviar vacinas contra a Covid-19 para revendê-las. Há informações, ainda não confirmadas pela Polícia Civil, de áudios e troca de mensagens em aplicativos onde a detida oferecia a vacina.

Durante o cumprimento da determinação judicial, as doses de vacina foram apreendidas (um frasco da Astrazeneca, com cinco doses; um de CoronaVac com um número ainda não determinado de doses e um vazio) e a falsa enfermeira foi presa em flagrante pelo crime de peculato, podendo responder também pelos crimes de falsidade ideológica e infração de medida sanitária.

Segundo o delegado Marcus Felipe da Rocha Rodrigues, a falsa enfermeira atuou como voluntária na campanha de vacinação desde 16 abril lotada na parte interna do Ginásio de Esportes Lagoão. Em depoimento, ela admitiu o desvio das vacinas, mas negou ter vendido o imunizante que teriam sido desviados para imunizar uma família próxima a detida. “Ela também afirmou, e isso é importante salientar para população até porque tem ocorrido diversos boatos a respeito, que jamais aplicou soro nas pessoas que estavam sendo vacinadas. Ela frisa isso em depoimento e não há elemento nenhum que sugira que essa prática ocorreu”, afirma o delegado.

O prefeito de Apucarana, Junior da Femac, que já havia determinado à Autarquia Municipal de Saúde que fosse baixada portaria, proibindo a participação de voluntários no serviço de vacinação contra a Covid-19, mandou afastar o servidor Luciano Pereira, do cargo de coordenador da Epidemiologia municipal e profissional de enfermagem com 33 anos de carreira no município.

Uma sindicância também já havia sido instaurada para apurar a responsabilidade no caso e, de imediato, foi constatado que o enfermeiro Luciano Pereira foi quem permitiu a participação da suposta técnica de enfermagem Silvânia Regina Del Conte na vacinação.

A suposta técnica de enfermagem foi imediatamente afastada do processo de vacinação no sistema de vacinação drive-thru no estacionamento do Complexo Esportivo Lagoão. A Prefeitura está acompanhando o caso com sua Procuradoria Jurídica e irá atender as determinações da justiça.

O prefeito Junior da Femac anunciou que o caso será tratado com rigor. “Apucarana tem sido referência na vacinação com sua logística, se adiantando em fases e não vou admitir essa conduta irregular”, afirmou

Foto: Reprodução

Do TN Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *