COM 300 VAGAS ABERTAS, OBRAS NA ORLA DE MATINHOS LEVAM EMPREGO À POPULAÇÃO LOCAL

Foto: Alessandro Vieira/Sedest

As obras de Recuperação da Orla de Matinhos, no Litoral do Estado, vão empregar cerca de 300 profissionais diretos. Destes, mais de 60% (184 vagas) foram disponibilizadas na Agência do Trabalhador do município para contratação de mão de obra local. Nesta segunda-feira (14/03), os candidatos às vagas administrativas fizeram entrevistados e saíram com a esperança de conquistar o registro na Carteira de Trabalho. As informações são da AEN.

“Estou há cerca de um mês procurando uma nova vaga no mercado de trabalho. Eu acho que é algo que vai somar muito no meu currículo e uma empresa desse porte também soma no crescimento da cidade”, disse Vanessa Lima, profissional da área administrativa há cerca de seis anos.

Ela foi uma das moradoras do Litoral do Estado encaminhadas pela Agência do Trabalhar para preencher uma das vagas do Consórcio Sambaqui, vencedor da licitação pública para a realização das obras no Litoral. A fase atual é chamada de “mobilização”, com estruturação do canteiro de obras, do escritório local e da seleção da mão de obra.

As 184 vagas disponibilizadas na Agência do Trabalhador de Matinhos são para diversas atividades, sendo as principais de pedreiro, servente e operador de máquina. Também tem vagas na área administrativa, para zelador, motoristas, almoxarifado, manutenção de edificações, entre outras.

Aos 20 anos de idade, Kevin Gabriel Chaparro Amorin, conta que para muitos jovens como ele esta é uma oportunidade de permanecer no Litoral, não precisando se deslocar para a Capital, como ele mesmo já teve que fazer.

“Tem muita gente que, como eu, saiu daqui de Matinhos procurando vagas nessa área em outras cidades. Eu vi essa oportunidade agora, com muitas vagas no setor administrativo, como uma oportunidade de crescer na minha cidade natal, para que eu não tenha que novamente sair da cidade, deixar minha família e namorada, e tentar uma oportunidade de emprego em outros lugares”, destacou.

Para Alex Sandro Vidal, de 45 anos, a procura emprego com carteira registrada já dura cerca de quatro anos. Morando com o cunhado no Litoral, ele conta que estava atuando em obras, mas com trabalhos sem registro. “Parados não podemos ficar. Para nós vai ser ótimo. Hoje de manhã vim aqui, me avisaram que precisava de currículo e fui providenciar o papel. Quando voltei, ainda pela manhã, já foi agendada a entrevista para o próximo dia 15. Bem rápido e ágil”, disse.

VALORIZAÇÃO – “Nós temos que pensar no Litoral de maneira integrada. As cidades são irmãs, unidades, e essa obra vai trazer benefícios para todos os municípios”, destacou o diretor-presidente do Instituto Água e Terra (IAT), Everton Souza. Os primeiros tubos de aço que serão utilizados para a etapa de dragagem, que resultará no engordamento da faixa de areia ao longo de 6,3 km (do Balneário Flórida ao Morro do Boi) já chegaram ao município.

“Teremos uma mão de obra muito especifica na soldagem desses tubos. Há necessidade, também, de mergulhadores para posicionar os tubos dentro do mar. Mas a grande maioria é formada pela mão-de-obra local, dando prioridade a Matinhos e às cidades lindeiras”, destacou Elvio Torres, gerente de projetos do Consórcio Sambaqui. Somente em caso de indisponibilidade trabalhadores no litoral paranaenses, a empresa irá procurar profissionais de fora da região.

“É um projeto de mais de 20 anos que vem se arrastando e o povo do Litoral do Paraná está esperando por esse investimento”, disse o prefeito de Matinhos, Zé da Ecler. Ele destacou, ainda, que após concluídas todas as etapas das obras, as oportunidades de emprego na região também vão ser maiores. “O emprego do comércio será aquecido, com mais atrações turísticas, e o turista vai buscar mais o Litoral do Paraná”, completou.

Da AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *