BRASIL SUPERA 3.000 MORTES POR COVID-19 EM 24 HORAS PELA 1ª VEZ NA PANDEMIA

BRASIL SUPERA 3.000 MORTES POR COVID-19 EM 24 HORAS PELA 1ª VEZ NA PANDEMIA

O Brasil registrou em 24 horas 3.158 mortes por covid-19 e estabeleceu novos recordes. Esta é a primeira vez que o número de óbitos pela doença fica acima de 3.000 em toda a pandemia. Até então, a pior marca havia sido 2.798 mortes, em 16 de março. A nova marca foi registrada nesta terça-feira (23/03). As informações são do UOL.

A média móvel ficou em 2.349 mortes, sendo o 25º dia consecutivo de recorde. O país soma 298.843 óbitos e deve chegar a 300 mil no próximo dia. O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nos dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde.

Hoje ainda completa-se uma semana da média móvel de mortes acima de 2.000. São 22 dias seguidos em que são contabilizados mais de 1.000 mortes em 24 horas e 62 dias com média móvel acima de 1.000.

Apenas a região Norte está estável na média de mortes, com 4% de variação na comparação com 14 dias atrás. Todos as outras regiões apresentam aceleração, sendo: Nordeste (25%), Centro-Oeste (65%), Sudeste (64%) e Sul (38%).

Vinte unidades da federação, incluindo o Distrito Federal, apresentam alta no índice. Dois estados estão em queda e cinco estão estáveis.

Foram registrados 84.921 novos casos nas últimas 24 horas, chegando a um total de 12.136.540 infectados.

São Paulo bateu recordes de mortes
Só o estado de São Paulo foi responsável por quase um terço dos óbitos, sendo registradas 1.021 mortes. Este é o pior número para o estado em toda a pandemia. A maior marca até então fora registrada em 16 de março, com 679 óbitos.

Segundo o governo, o número de hoje “inclui dados cumulativos deste final de semana, considerando que houve média de 94 cadastros por dia entre domingo (21) e segunda (22)”.

Os outros estados com maior número de óbitos nas últimas 24 horas foram Rio Grande do Sul (342), Paraná (311), Santa Catarina (182) e Ceará (178).

Foto: Agência Brasil

Do UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *