UNIVERSIDADES PARTICULARES DE CURITIBA DEMITEM ‘EM MASSA’ E PROFESSORES AMEAÇAM GREVE

UNIVERSIDADES PARTICULARES DE CURITIBA DEMITEM ‘EM MASSA’ E PROFESSORES AMEAÇAM GREVE

Uma onda de demissões de professores atinge as universidades particulares de Curitiba. Nas últimas semanas, em maior ou menor escala, UniCuritiba, Universidade Positivo (UP), Uninter e Unibrasil dispensaram profissionais. Nesse cenário, os professores ameaçam entrar em greve. Uma assembleia está marcada para esta sexta-feira (10/07). As informações são de Josianne Ritz, do Bem Paraná.

Segundo o presidente do Sindicato dos Professores de Ensino Superior de Curitiba e Região Metropolitana (Sinpes), Valdyr Perrini, descobrir a quantidade real destas demissões é um desafio. “A Reforma Trabalhista de 2017 retirou a obrigatoriedade de que as rescisões contratuais sejam feitas nos sindicatos. Assim, temos dificuldades para contabilizar o número de baixas ao final de cada semestre. Os dados enviados ao Sinpes são repassados pelos próprios professores, pelos membros da diretoria do sindicato que atuam em universidades e também por alunos que atuam em Diretórios e Centros Acadêmicos. O sindicato faz reiterados pedidos de informação às instituições, mas sem sucesso.”, explicou ele.

Diante da onda de demissões, o Sinpes convocou para esta sexta-feira uma assembleia virtual com todos os filiados a fim de discutir a situação e um possível indicativo de greve de toda a categoria. “A ameaça é geral, chegou a hora de unificarmos a categoria para frear essas mudanças, que atingem não só os professores, mas a grade curricular e os alunos”, disse Perrini, em entrevista ao ‘Bem Paraná’.

Para o dirigente, as universidades usam a pandemia como desculpa para demitir e aos poucos substituir o ensino presencial pelo Ensino à Distância (EAD). “Trata-se de um processo de mercantilização do ensino superior que despreza a qualidade dos profissionais que atuam em sala de aula e diminuem consideravelmente a qualidade do ensino oferecido aos acadêmicos”, explica ele. O sindicato também já marcou audiências no Ministério Público do Trabalho do Paraná (MPT-PR) para tratar das demissões e mudanças na UP, na Uninter e Unicuritiba.

As mudanças e demissões têm preocupado os alunos também. Os acadêmicos da Universidade Positivo, por exemplo, têm se manifestado por meio de postagens nas redes sociais e marcaram uma manifestação em frente à instituição neste sábado (11/07), às 15 horas.

Os universitários do Unicuritiba realizaram uma manifestação com buzinaço na frente da entidade no dia 19 de junho e conseguiram na Justiça uma liminar contra a mudança da grade, que era uma das pretensões do Grupo Ânima, que comprou a UniCuritiba em 2019. A decisão foi do juiz Fabiano Jamur Cecy, da 18ª Vara Cível. A ação foi movida pelo Centro Acadêmico de Relações Internacionais Primeiro de Janeiro (dos estudantes de Relações Internacionais), pelo Diretório Acadêmico Clotário Portugal (dos estudantes de Direito) e pelo Diretório Central dos Estudantes.

Para o presidente do Sinpes, o engajamento dos alunos contra as mudanças e demissões tem sido importante:“Até porque eles são os maiores prejudicados, afinal contrataram o curso com uma estrutura e recebem outra”.

Foto: Geraldo Bubniak

Do Bem Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *