TIAGO AMARAL PROPÕE MUDANÇAS EM PROJETO DE FUSÃO DO IAPAR

TIAGO AMARAL PROPÕE MUDANÇAS EM PROJETO DE FUSÃO DO IAPAR

O deputado estadual Tiago Amaral (PSB), vice-líder do governo Ratinho Junior (PSD) na AL (Assembleia Legislativa) do Paraná, apresentou nessa quarta-feira (27/11) uma emenda substitutiva geral ao projeto 594/2019, que cria o Instituto de Desenvolvimento Rural. O texto tramita há três meses na Casa e é foco de polêmica entre membros da oposição e servidores ligados a autarquias.

Ratinho quer unir Emater, CPRA (Centro Paranaense de Referência em Agroecologia), Codapar (Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná) e Iapar (Instituto Agronômico do Paraná). O órgão teria 45 novos cargos comissionados. Entretanto, não há garantia de manutenção das funções atuais.Dentre as sugestões de Amaral está o envio de um projeto, até 180 dias após a publicação da lei, detalhando o Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos funcionários. “Atacamos bastante situações de instabilidade dos servidores, com extinção dos quadros da Emater. Vamos achar uma alternativa para eles, através da reintegração entre as carreiras”, explica.

Segundo o parlamentar, a proposta foi construída em conjunto com os demais representantes de Londrina e com membros da sociedade civil. “É uma demonstração muito clara da importância do aperfeiçoamento do processo de discussão feito pela Assembleia, que atacou os principais pontos de preocupação em relação à perenidade desses institutos, fundamentais para o desenvolvimento do agro do Paraná”.

Outra questão que Amaral destaca é que as Diretorias de Pesquisa e Inovação, Gestão de Negócios e Integração Institucional ficarão sediadas em Londrina, mesmo que a administração permaneça em Curitiba. “É um material conclusivo, que vai garantir a pesquisa – não vai ser sobreposta por nenhuma estrutura -, participação maior da sociedade na definição do tipo de trabalho a ser priorizado, e respeitando as necessidades regionais.

Para também “preservar a história e a identidade” do órgão, ele passará a se chamar Instituto de Desenvolvimento Rural IAPAR-EMATER. O deputado cita ainda a estruturação de conselhos, “que permite uma participação mais forte, maior, de produtores, trabalhadores, na construção do Paraná que a gente quer em relação ao agro”.

O substitutivo estabelece que o Poder Executivo preveja, dentro dos 2% constitucionais repassados ao setor de Ciência e Tecnologia, uma parcela para as pesquisas prioritárias no planejamento desenvolvido pelo Instituto. Por fim, do orçamento próprio da autarquia, 21% dos créditos deverão ser, obrigatoriamente, destinados às estruturas e atividades de pesquisa.

Da Folha de Londrina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *