SUPERMERCADOS DE CURITIBA PREVÊEM CAOS ÀS QUINTAS E SEXTAS E PEDEM REVISÃO DE DECRETO

SUPERMERCADOS DE CURITIBA PREVÊEM CAOS ÀS QUINTAS E SEXTAS E PEDEM REVISÃO DE DECRETO

A Associação Paranaense de Supermercados (Apras) emitiu nota nesta quarta (19/05) prevendo situações caóticas nas lojas nas quintas e sextas diante do lockdown aos sábados e domingos determinado no novo decreto de bandeira laranja publicado pela Prefeitura de Curitiba já em vigor. “A Apras se preocupa com as consequências das decisões. O fechamento nos finais de semana prejudicará o atendimento aos consumidores curitibanos e irá gerar concentrações de pessoas nas lojas para suprirem as suas necessidades básicas. O setor prevê situações caóticas principalmente nas quintas e sextas-feiras, mesmo com a limitação da capacidade, gerando extensas filas externas nos estabelecimentos”, diz a nota. As informações são de Josiane Ritz, do Bem Paraná.

Para a Apras, as restrições são um risco para a saúde pública e para o abastecimento da população, já que a experiência adquirida nesta pandemia mostra que a ampliação dos horários ajuda a distribuir os clientes no decorrer dos dias, pois os supermercados são considerados atividade essencial e fornecem produtos e alimentos de necessidades básicas. “A Apras está tentando dialogar com os órgãos competentes para apresentar os argumentos solicitando revisão do decreto em benefício do bem-estar e segurança dos consumidores e colaboradores. O setor supermercadista paranaense acredita que com a compreensão, a colaboração e o bom-senso de todos, será mais fácil vencermos esta guerra contra a Covid”, afirma a nota.

A Prefeitura de Curitiba publicou nesta terça (18/05) o decreto 890/2021, estabelecendo novas regras para enfrentamento da covid-19 na capital, que se mantém na bandeira laranja. O documento entrou em vigor nesta quarta-feira (19/05), com validade até 26/5. As medidas foram definidas pelo Comitê de Técnica e Ética Médica e reforçam o controle da covid-19. Aos sábados e domingos, por exemplo, será permitida apenas as modalidades de entrega drive-thru ou retirada para os serviços. Além disso, também há alteração no horário de funcionamento de algumas atividades não essenciais e ampliação de uma hora no toque de recolher, passando a ser das 21h às 5h (antes era das 22h às 5h). As medidas, de acordo com a prefeitura têm o objetivo de reduzir a circulação de pessoas e conter a propagação do vírus, diminuindo assim o número de casos ativos na cidade e de pessoas com potencial de transmissão da doença. “Embora a bandeira continue laranja estamos caminhando para o vermelho. Essa restrição nos fins de semana é nossa tentativa de conscientizar a sociedade e evitar a piora do cenário”, alertou a secretária municipal da Saúde, Marcia Huçulak.

Outras entidades também protestam
Em reunião virtual na tarde de terça (19/05), associações comerciais da Região Metropolitana de Curitiba e do Litoral posicionaram-se contra a adoção de novos lockdowns. As entidades alegam que muitas empresas estão à beira da falência, que os seguidos “abre e fecha” não trouxeram os resultados esperados e que o comércio não é responsável pelas aglomerações. A categoria promete protestos nos próximos dias.

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) lamentou que a Prefeitura de Curitiba não tenha seguido as regras impostas pelo decreto do governo do Paraná, que suspendeu as atividades essenciais somente aos domingos: “Mas ao contrário, só quer mostrar força retirando todo o fim de semana de atendimento presencial, bem como diminui uma hora em relação aos demais municípios. Mesmo voltando a impor restrições severas ao nosso setor, não vemos nada com relação ao transporte coletivo, que continua circulando com ônibus superlotados”. Segundo ele, muitos bares de Curitiba que têm serviço de alimentação deverão fechar as portas até o vencimento do decreto que manteve a bandeira laranja em Curitiba. “A maioria dos bares com serviço de alimentação estão informando em suas redes sociais que optaram por não funcionarem até o vencimento da nova Bandeira”, disse Aguayo, em seu perfil no Twitter. “As condições foram anunciadas nesta terça (18/05) com horário de funcionamento até 21 horas e proibição aos fins de semana”.

Os shoppings de Curitiba lançaram no fim de semana uma campanha nas redes sociais contra o fechamento dos estabelecimentos em um lockdown ou bandeira vermelha na Capital. A campanha é assinada por todos os shoppings da capital e traz cards com as hashtags “#economia não pode parar”, “#comercio não pode fechar” e “#trabalho é essencial”.

Foto: Geraldo Bubniak / AEN

Do Bem Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *