PUNIDOS PELO PSL, DOIS DEPUTADOS DO PARANÁ PERDEM FUNÇÕES PARTIDÁRIAS

PUNIDOS PELO PSL, DOIS DEPUTADOS DO PARANÁ PERDEM FUNÇÕES PARTIDÁRIAS

Dois deputados federais do Paraná filiados ao PSL, Aline Sleutjes e Filipe Barros, perderam suas funções partidárias na Câmara por um ano a partir desta quarta-feira (04/03). As informações são de Catarina Scortecci, da Gazeta do Povo.

Eles integram uma lista de 12 parlamentares do PSL que foram punidos pela Executiva Nacional da sigla. Assim, a bancada do PSL na Câmara foi reduzida de 53 para 41. Entre os 30 deputados do Paraná, três foram eleitos pelo PSL: além de Aline e Barros, Felipe Francischini, que segue afinado com o comando da legenda.

A suspensão atingiu parlamentares alinhados com o presidente da República, Jair Bolsonaro, depois de disputa com o presidente do PSL, Luciano Bivar. Aline e Barros são os articuladores no Paraná da construção do Aliança pelo Brasil, capitaneado pelo presidente Bolsonaro. Eles correm para coletar assinaturas de apoio à criação do novo partido político.

Após a decisão do PSL – e a formalização da suspensão dos 12 parlamentares em ato assinado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) – Aline publicou um vídeo aos seus eleitores no seu perfil no Facebook, no qual reconhece limitações à atuação parlamentar, mas também vê “alívio”.

“A partir de hoje nós não temos mais o direito de falar em plenário ou em comissão pelo partido. Não podemos participar de nenhum evento como PSL. O que muda na nossa vida? Nós temos dificuldades aqui dentro, na nossa participação [na Câmara]. Mas, para falar a verdade para vocês, eu me sinto aliviada. Porque desde o primeiro momento eu optei em ficar ao lado do nosso presidente Bolsonaro e falei que, para onde ele fosse, eu iria. E estamos montando o Aliança pelo Brasil, que, se Deus quiser, logo, logo, estará funcionando e nós teremos um partido que realmente nos valorize, nos dê credibilidade, nos dê a participação efetiva”, disse ela.

Em manifestação encaminhada à reportagem, Filipe Barros disse que já era um ato esperado e que “nós vamos entrar na Justiça pleiteando a anulação destas suspensões”: “Faz parte do processo de perseguição que o grupo do Bivar está promovendo contra os deputados fieis ao presidente Bolsonaro”.

Fotos: Câmara dos Deputados

Da Gazeta do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *