PROJETO QUE PRIORIZA A VACINAÇÃO DE PROFESSORES É APROVADO NA ALEP

PROJETO QUE PRIORIZA A VACINAÇÃO DE PROFESSORES É APROVADO NA ALEP

Nessa segunda-feira (22/02), foi aprovado em terceira discussão o projeto de lei enviado à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) pelo Governo do Estado que torna a educação uma atividade essencial. O projeto segue agora para sanção do governador. A lei prioriza a vacinação de professores durante períodos de epidemias ou pandemias.

Duas emendas foram apresentadas e aprovadas. Uma delas do deputado por Maringá, Do Carmo, estabelece que para o exercício da atividade, os profissionais da educação terão prioridade na vacinação.

A vacinação é tema de debates na Assembleia Legislativa. O deputado, também por Maringá, soldado Adriano José entende que não só professores, mas profissionais da área da segurança e salvamento também devem ter prioridade na imunização.

Ele enviou um ofício com o pedido ao governador. Segundo o deputado, o Paraná precisa vacinar 30.685 trabalhadores das forças de segurança e salvamento. No Plano Estadual de Vacinação eles estão no grupo 10.

Em Maringá, os agentes de segurança estão na 4ª fase de vacinação, juntamente com trabalhadores do transporte coletivo, agentes penais, pessoas privadas de liberdade e população em situação de rua.

“Mesmo durante a pandemia, eles [profissionais da segurança pública] nunca pararam. Policiais Militares, Bombeiros Militares, Policiais Civil, os profissionais do departamento penitenciário, eles estão trabalhando diuturnamente para prestar segurança pública de qualidade. Até mesmo porque eles não podem parar, porque se eles pararem, o caos se instala no nosso estado”, defende José.

“Por dever de ofício, os agentes da segurança pública tem contato físico direto com as pessoas, através de abordagens, de atendimento ao público, de contato direto com os presos. Eles correm o risco tanto de se contaminar, bem como contaminar outras pessoas. Então chegou o momento, também, do estado olhar com atenção especial para esses profissionais”, explica o deputado estadual.

A vacinação em muitas cidades foi suspensa por falta de doses. Em Maringá, a vacinação foi suspensa na última quinta-feira (18/02). Nessa segunda, a coordenadora do Centro de Operações em Emergências (COE), da Secretaria de Saúde do Paraná, Maria Goretti David Lopes, disse que esta semana o Paraná deve receber mais doses de vacina.

“Nós estamos sabendo que a Fiocruz já tem condições de fazer uma entrega imediata ao Ministério da Saúde. E, assim que Fiocruz repassar a vacina da AstraZeneca, com certeza o Ministério da Saúde nos avisa novamente […] e, rapidamente, com a logística que já está organizada, nós repassamos às Regionais de Saúde que fazem, também, a entrega para os municípios”, detalha Maria Goretti.

Segundo a secretária de Saúde do Paraná, a expectativa é que as doses, que estão vindo da Índia, cheguem no estado até o final da semana

Em Maringá, um projeto de lei municipal também trata da educação como serviço essencial. No texto, está que “o exercício das atividades presenciais não estará sujeito a suspensão ou interrupção”.

Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

Do GMC Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *