PROCURADORIA DA MULHER VOLTA A COBRAR BOLETIM ONLINE E DADOS DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

PROCURADORIA DA MULHER VOLTA A COBRAR BOLETIM ONLINE E DADOS DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

A procuradora especial da mulher da Assembleia Legislativa do Paraná, deputada estadual Cristina Silvestri (CDN), voltou a cobrar do Governo do Estado o atendimento de demandas apresentadas pela Procuradoria que atendem a causa feminina durante a pandemia. Um dos pedidos diz respeito a liberação do boletim de ocorrência online para mulheres vítimas de violência, exceto em casos de violência sexual. Outro diz respeito a divulgação periódica dos casos de violência registrados no estado durante a pandemia. Ambos os pedidos receberam o apoio da bancada feminina da Assembleia Legislativa.

“São dois pedidos importantes para o combate à violência doméstica na pandemia. Ambos foram apresentados no mês passado à Secretaria de Segurança e nós precisamos de um retorno rápido e positivo sobre isso porque as medidas de enfrentamento precisam ser adequadas agora, enquanto o problema acontece”, explica a parlamentar.

A pressa mencionada por Cristina vem de encontro, principalmente, ao problema de subnotificações de casos de violência doméstica que estão ocorrendo no Paraná. Um relatório recente da Secretaria de Segurança Pública (Sesp), solicitado pela Procuradoria da Mulher, revelou que houve uma queda de 22% nos registros de violência no Estado, comparando os meses de março e abril de 2019 e de 2020. Essa diminuição, entretanto, não representa uma queda dos números de violência.

“As mulheres estão mais próximas dos agressores, passando mais tempo com eles. Então é claro que o número de denúncias ia diminuir. Simplesmente porque elas não estão tendo como denunciar. Nossas ações hoje precisam ocorrer de uma forma que venham a facilitar para as mulheres as formas de buscar ajuda”, complementou, lembrando que o boletim de ocorrência online vem de encontro a esta demanda.

Mulheres vítimas de violência que procurarem ajuda e não receberem o devido atendimento, podem acionar a Procuradoria da Mulher da Assembleia que, mesmo durante as medidas de isolamento adotadas na Assembleia, continua realizando trabalhos de fiscalização de repartições e órgãos públicos que trabalham com o atendimento e acolhimento de vítimas de violência doméstica.

A atuação da Procuradoria, mesmo de maneira remota, visa garantir que as mulheres que procurem ajuda tenham os encaminhamentos devidos. Denúncias de violência também podem ser enviadas à Procuradoria da Mulher da Assembleia Legislativa do Paraná por WhatsApp (41 99229-2311), e-mail (procuradoriadamulher@assembleia.pr.leg.br) ou pelas redes sociais (https://www.instagram.com/procuradoriadamulherpr/ ou https://www.facebook.com/procuradoriadamulherpr).

Foto: Dálie Felberg / Alep

Da Assembleia Legislativa do Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *