PREFEITURA DE CURITIBA ‘CONFISCA’ ANESTÉSICOS EM CLÍNICAS E DISTRIBUIDORAS

PREFEITURA DE CURITIBA ‘CONFISCA’ ANESTÉSICOS EM CLÍNICAS E DISTRIBUIDORAS

Desde segunda (27/07), técnicos da Vigilância Sanitária da Prefeitura de Curitiba têm ‘confiscado’ em clinicas e distribuidoras medicamentos anestésicos, como Propofol e adrenalina. Os medicamentos estão em falta no mercado nacional diante da demanda gerada pela pandemia de Covid-19, já que os pacientes em estado mais grave precisam destes remédios para serem entubados. As informações são de Josianne Ritz, do Bem Paraná.

A reportagem do jornal confirmou que os técnicos da Vigilância estiveram em pelo menos duas distribuidoras de remédios e quatro clínicas da cidade, três de cirurgia plástica e uma de ortopedia. Apesar das reclamações das clínicas, o ‘confisco’ está amparado no Decreto Municipal 421/2020, que no capítulo VI do artigo terceiro, prevê a “requisição de bens e serviços de pessoas naturais e jurídicas, hipótese em que será garantido o pagamento posterior de indenização justa”.  A Prefeitura confirmou que tem requisitado os medicamentos, em nota: “Devido à escassez no mercado de medicamentos usados para sedação, o município também tem feito a requisição desses produtos”.

Uma funcionária de uma das clínicas, que não quis se identificar, reclamou da maneira com que os agentes públicos agiram: “Parecia que estávamos fazendo algo errado. Entregamos os medicamentos e mesmo assim eles quiseram verificar pessoalmente se não tinha mais no estoque. As cirurgias eletivas estão suspensas, não tínhamos motivo para não repassarmos os medicamentos. Poderíamos até doar se fosse o caso”.

Em uma distribuidora, os agentes públicos levaram todo o estoque de medicamentos anestésicos, que não era muito, e o gerente disse que vai ter que comunicar os compradores do cancelamento da encomenda: “Poderia ter sido feito de uma maneira mais organizada e diferente e não assim. Podemos até ajudar na busca destes remédios”.

Apesar de confirmar que está recolhendo remédios em clínicas e distribuidoras, oficialmente, a prefeitura de Curitiba diz que tem estoque garantido de remédios para os pacientes de Covid-19.

Em nota, a Prefeitura também lembrou que a realização de cirurgias eletivas no Paraná está suspensa, temporariamente, conforme determina a Resolução 926/2020, do governo estadual: ” A Vigilância Sanitária, em Curitiba, fiscaliza os estabelecimentos, mediante denúncias feitas à Central 156. Quando constatado o descumprimento, é lavrado o auto de infração e é feita a interdição da atividade de cirurgia eletiva.  A ação está amparada pelo Decreto Municipal 421/2020, que declarou Situação de Emergência em Saúde Pública em Curitiba e elencou as medidas que podem ser tomadas para o enfrentamento da pandemia”.

Paraná vai buscar medicamentos em outros Estados

Em visita a Curitiba, no dia 23 de julho, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que o governo federal poderia enviar uma remessa emergencial de medicamentos para tratamento do Covid-19 ao Paraná com a ajuda do Exército. A promessa foi feita diante do diagnóstico do secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, sobre a falta de medicamentos para manter os pacientes de Covid-19 sedados nas Unidades de Terapia Intensivas (UTI) dos hospitais.

Segundo o secretário, até então, o estoque do Estado só é suficiente para mais três ou quatro dias, e a situação pode chegar a um colapso. Na segunda (27/07), o Governo do Estado recebeu anestésicos e relaxantes musculares do Hospital Unimed, do Rio de Janeiro. O Governo do Estado enviou uma aeronave para buscar a carga.

A ação foi articulada pela Secretaria de Estado da Saúde e pelo Ministério da Saúde, a partir de uma mobilização feita já na semana passada. A Secretaria já alertava para a escassez dos insumos para atendimento de pacientes internados. “Não temos medido esforços para viabilizar medicamentos para toda a rede. Hoje estamos buscando estes insumos em outro estado, como um primeiro resultado da reunião da semana passada com o Ministério da Saúde, para conseguirmos atender uma parte de toda a demanda”, disse o secretário Beto Preto. O Paraná também já está habilitado no processo de compra de medicamentos pelo Ministério da Saúde para todos os estados.

A Secretaria da Saúde também fez uma aquisição recente para abastecer as unidades hospitalares. “O Governo já fez uma aquisição de medicamentos, que já chegaram ao nosso depósito na semana passada, e devemos receber o restante nos próximos dias”, explicou o assessor especial de gabinete da Secretaria, César Neves.

O Paraná deve receber, ainda nesta semana, mais uma remessa de medicamentos do Ministério da Saúde. “O Governo Federal enviará mais um quantitativo de insumos para o Paraná, em caráter emergencial. Além disso, o Paraná aderiu a ata de registro de preços do Ministério da Saúde, que está fazendo uma grande compra para abastecimento de todos os estados”, completou Neves.

Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Do Bem Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *