PORTO DE PARANAGUÁ CONFIRMA RECORDE NA EXPORTAÇÃO DE GRÃOS

PORTO DE PARANAGUÁ CONFIRMA RECORDE NA EXPORTAÇÃO DE GRÃOS

O Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá fechou 2019 com mais um recorde na movimentação dos granéis sólidos. Juntos, no ano, os dez terminais que compõem o complexo exportaram mais de 20,23 milhões de toneladas de soja e milho, em grão e farelo. O volume alcançado registra mais uma marca histórica, superando em quase 2,4% o número de 2018 –de 19,76 milhões de toneladas.

“A movimentação e a produtividade alcançadas nos três berços do Corredor de Exportação é resultado de um trabalho muito focado e alinhado entre a autoridade portuária e os terminais que atuam no complexo”, comenta o presidente da empresa pública Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Em 2019, como informa Garcia, não houve obras de reestruturação do local. O esforço foi em reorganizar o fluxo, alinhar as regras e a atuar com o máximo de eficiência conjunta entre a equipe da Diretoria de Operações da Portos do Paraná e a dos operadores.

“Em 2020, já entramos o ano com a expectativa das obras de repotenciamento do Corredor de Exportação”, diz Garcia. Segundo ele, está sendo finalizada a contratação da empresa que fará o projeto básico da remodelação que vai dobrar a capacidade operacional, com investimentos em novas correias transportadoras e a aquisição de novos equipamentos eletromecânicos.

O Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá é um conjunto de terminais, público (um, com dois silos) e privados (nove), interligados por correias transportadoras até seis equipamentos carregadores de navios que operam em três berços, à oeste do cais – 212, 213 e 214.

PRODUTOS – Soja em grão foi o principal granel exportado pelo Porto de Paranaguá. Em 2019, apenas pelo Corredor de Exportação mais de 10,6 milhões de toneladas do produto foram exportadas, principalmente para a China – que recebeu mais de 89% do produto que saiu do porto paranaense.

O Porto de Paranaguá é o terceiro principal exportador da commodity do Brasil, atrás de Santos e Rio Grande.

O volume de milho exportado pelos três berços do complexo é de 5,36 milhões de toneladas. Os principais destinos do produto que saiu por lá são o Irã (42%), o Japão (29,7%) e a Coreia do Sul (7,1%).

O Porto de Paranaguá é o segundo principal exportador de milho do país, atrás apenas do Porto de Santos.

De farelo de soja, foram 4,19 milhões de toneladas exportadas pelo Corredor em 2019. Os principais destinos do produto foram Holanda (25,69%), França (17,67%) e Coreia do Sul (15,28%).

O Porto de Paranaguá é também o segundo principal exportador de farelo de soja do país, atrás apenas do Porto de Santos, por um milhão.

PORTOS – Como divulgado no último dia 31 de dezembro, a marca histórica também foi superada na movimentação geral dos Portos do Paraná. Agora consolidado, o volume total de importações e exportações de Paranaguá e Antonina chegou a 53,2 milhões de toneladas; 0,3% a mais que o registrado em 2018, 53 milhões.

Quase 62,6% da movimentação total de 2019 é de exportação: 33,3 milhões de toneladas. O restante, 37,4%, é de importação: 19,9 milhões de toneladas de produtos.

Os granéis sólidos representam mais de 65% das movimentações de 2019, com 34,92 milhões de toneladas importadas e exportadas. Na importação, os principais produtos são os fertilizantes com quase 9,43 milhões de toneladas movimentadas.

As principais origens do fertilizante importado pelos portos de Paranaguá e Antonina são Rússia, China, Canadá e Estados Unidos. O Porto de Paranaguá é o primeiro do país na importação do produto.

Foto: Claudio Neves/APPA

Da Agência Estadual de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *