PESCADORES DE MATINHOS PREVEEM MAIS QUALIDADE DE VIDA COM A REVITALIZAÇÃO DA ORLA

Foto: SEDEST/IAT

Menos esforço físico e mais segurança a banhistas e pescadores. São esses os anseios dos profissionais de pesca de Matinhos, no Litoral do Paraná, com as obras de recuperação e modernização da orla. O projeto é executado pelo Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest). As informações são da Agência de Notícias do Paraná.

Nas proximidades do Rio Matinhos, região em que está estabelecida a comunidade pesqueira, assim como no Mercado do Peixe, o projeto prevê grandes melhorias relacionadas à infraestrutura urbana, como revitalização asfáltica e drenagem, além de melhores acessos para ônibus de turismo e conexão com a praia.

“Vai melhorar muito a vida de todos, facilitar a saída das embarcações e não vamos precisar ficar pescando em cima das pedras por causa da maré alta”, disse Lopes Fabiano Ramos, mais conhecido como Sapo. Ele é pescador, diretor do Mercado do Peixe em Matinhos e presidente Associação dos Pescadores da cidade.

Sapo representa a quinta geração de pescadores na região. Incrédulo com as melhorias, prometidas há anos, ele participou de todas as audiências públicas e reuniões que esclareceram as etapas das obras. “Somos uma comunidade de 120 anos de existência na cidade. Nas audiências públicas ficamos sabendo que teremos mais 300 metros de areia, sem perigo de atropelar banhistas e bater nas pedras”, destacou.

De acordo com ele, são 76 embarcações atuantes na região todos os dias, com cerca de 300 pescadores profissionais. Somando os colaboradores do Mercado do Peixe, que atuam na limpeza e venda, são mais de 600 pessoas beneficiadas direta e indiretamente.

A família composta por esposa, três filhos e sete netos de Osvaldir Salles Felício, por exemplo, depende da pesca. Segundo ele, a revitalização vai melhorar a rotina da cidade e criar a possibilidade de evitar deslocamentos desnecessários com as embarcações.

“Qualquer pescador hoje em dia tem um grande trabalho para colocar e tirar as embarcações no mar. Com mais areia, área maior de manobra, as condições ficam muito mais favoráveis”, disse o pescador, que exerce essa função há mais de 30 anos. “Se essa obra sair, ficaremos surpreendidos e extremamente felizes”.

OBRAS – As obras fazem parte do maior investimento em um único município do Litoral da América do Sul. O edital de licitação foi lançado no mês passado. Com investimentos de R$ 377,8 milhões na primeira etapa e R$ 124,7 milhões na segunda, a recuperação prevê intervenções para mitigar os efeitos provocados pela erosão marinha e contribuir para o controle das cheias na região.

Serão realizados serviços de alargamento da faixa de praia a partir do aterro hidráulico e a execução de estruturas marítimas para dar estabilidade ao material, proporcionando maior espaço para que os pescadores desenvolvam suas atividades. 

“Quando chove muito ou tem vento, as ondas destroem a estrutura da orla, invadem a cidade. A maré alta já enterrou rede, motor e muitas canoas quebraram”, destacou o pescador Adail João Pinto, presidente da Colônia de Pescadores da Zona 4 de Matinhos. Segundo ele, as obras foram pensadas para equilibrar a necessidade de desenvolvimento com a tradição de Matinhos.

O projeto prevê, ainda, canais de macrodrenagem, redes de microdrenagem, revitalização urbanística da orla marítima, bem como a pavimentação e a recuperação de vias e passeios. Nos oito quilômetros de extensão, será feito paisagismo com o plantio de árvores nativas, a construção de ciclovia, pista de caminhada e estacionamento, e melhoria no sistema de iluminação.

Os guias-correntes terão sistema de iluminação, conforme as normas da Marinha, proporcionando maior segurança para navegação noturna.

O secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, destacou que a obra impacta também na saúde do ser humano. “É uma obra que saiu do papel depois de 30 anos porque tivemos todo o zelo na parte ambiental. Através das estruturas marinhas, a orla vai ter melhor balneabilidade, com menos risco de doenças e enfermidades na areia, além de beneficiar o turismo”, disse.

NOVO MERCADO – Está prevista também, para a 2ª etapa das obras, daqui a alguns anos, a revitalização do Canal do Rio Matinhos e ainda mais melhorias. A comunidade local já solicitou a construção de um novo Mercado do Peixe e a transformação do atual em um museu, criando um novo atrativo aos turistas que visitam o município. E o anseio já entrou na programação estadual.

“O IAT, em parceria com a prefeitura do município, deve providenciar a elaboração de um projeto e a execução para as novas instalações do mercado, integrando-o ao projeto de revitalização do canal e às obras marítimas”, destacou o diretor de Saneamento Ambiental e Recursos Hídricos do IAT, José Luiz Scroccaro.

Da Agência de Notícias do Paraná.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *