PARANÁ CONFIRMA PRIMEIROS CASOS DE CHIKUNGUNYA NO PERÍODO EPIDEMIOLÓGICO

Foto: Agência Brasil/Arquivo

O Paraná confirmou os primeiros casos de febre chikungunya no período epidemiológico vigente, que iniciou no dia 1º de agosto e segue até julho de 2022. São três pacientes residentes no município de Rondon, todos com vínculo familiar, sem relato de viagens e com início dos sintomas em agosto de 2021. As vigilâncias ambiental e epidemiológica, e a assistência à saúde acompanharam a família e, até o momento, são casos isolados. As informações são do GMC Online com AEN.

A febre chikungunya é uma doença viral transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. É importante que todo paciente que apresente febre de início súbito maior que 38,5ºC e intensas dores articulares, acompanhadas ou não de dor de cabeça, manchas vermelhas na pele, fadiga e dor nas costas com duração média de sete dias, procure a Unidade de Saúde mais próxima.

“Não há motivo de alerta. Nossas equipes acompanharam os novos casos, mas devemos seguir com os cuidados necessários para que os números não aumentem”, disse o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto.

Dengue
Além disso, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) registrou mais 30 casos de dengue no Paraná, totalizando 249 casos confirmados no período vigente. Os novos casos confirmados foram em Foz do Iguaçu, Paranavaí, Londrina, Maringá, Nova Aurora, Marechal Cândido Rondon, Ribeirão Claro, Sertaneja, Rolândia, Ibiporã, Bela Vista do Paraíso, Ubiratã, Engenheiro Beltrão e Paranaguá.

Há, ainda, 1.585 casos em investigação e 230 municípios registraram notificações, que passaram de 4.797 para 5.468. Não houve nenhum óbito no Estado neste período.

Do GMC Online com AEN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *