NOVO PROGRAMA DE PAVIMENTAÇÃO DEVE GERAR 9 MIL EMPREGOS EM CADA ANO DE EXECUÇÃO

Foto: Roberto Dziura Jr/AEN

O programa Asfalto Novo, Vida Nova, lançado na terça-feira (04/04) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, deve gerar cerca de 9 mil empregos diretos e indiretos em cada ano de execução. A estimativa é do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Paraná (Sinduscon), que leva em conta o investimento de R$ 500 milhões repartido entre cada ano de execução do projeto, entre 2023 e 2024.

Um levantamento do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) aponta ainda um acréscimo de R$ 158 milhões no PIB paranaense em cada um dos anos. Para Ratinho Junior, além da geração de empregos diretos e indiretos, o impacto econômico será ainda maior, já que o projeto tem foco em sustentabilidade, o que tem chamado cada vez mais a atenção de investidores.

“Nós lançamos esse grande programa de pavimentação urbana com sustentabilidade para melhorar a qualidade de vida dos paranaenses. E isso atrai investimentos de indústrias, do comércio e, consequentemente, gera mais empregos. Muitas empresas estão vindo para o Paraná porque conseguimos esse selo de Estado mais sustentável do Brasil”, ressaltou.

Segundo o presidente do Ipardes, Jorge Callado, o programa é um bom exemplo de gestão pública e deve impulsionar o desenvolvimento econômico das cidades a longo prazo, motivado pelas melhorias na infraestrutura.

“O ambiente ficará mais favorável para a atração de negócios e empreendedores, melhorando o acesso da população a serviços, à saúde e ao comércio”, disse ele.

“Além da geração de empregos nas obras, há uma melhoria estruturante que fica para o município, atraindo mais investimentos por parte da iniciativa privada. As pessoas que recebem salários compram no comércio da região. Com a circulação destes salários na economia, cada vez mais negócios podem se estabelecer”.

Para Carlos Augusto Emery Cade, presidente do Sinduscon, o número de empregos impacta não só o setor da construção civil, mas também toda a cadeia produtiva e a economia dos municípios. “Temos exemplos recentes no Paraná de que a realização de obras de pavimentação deste tipo impactam as indústrias num primeiro momento, mas também todo o setor produtivo, que envolve a mão de obra de construção e, também, de produção de insumos”, disse.

Da AEN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *