MORRE RENÉ DOTTI, ADVOGADO PARANAENSE RESPEITADO EM TODO O BRASIL

MORRE RENÉ DOTTI, ADVOGADO PARANAENSE RESPEITADO EM TODO O BRASIL

Morreu nessa quinta-feira (11/02) em Curitiba o advogado René Ariel Dotti, aos 86 anos, vítima de uma parada cardiorrespiratória. Um dos mais respeitados criminalistas do Brasil, Dotti notabilizou-se na luta contra a ditadura militar, defendendo jornalistas, sindicalistas, professores, estudantes e e outros perseguidos pelo regime. Participou ainda intensamente da vida política e cultural do Paraná e do Brasil, tendo sido secretário de Estado da Cultura entre os anos de 1987 e 1991, durante o governo Alvaro Dias. As informações são do Bem Paraná.

Dotti morreu em casa, onde cumpria distanciamento social desde o início da pandemia. Ele deixa a esposa Rosarita, as filhas Rogéria e Cláudia, e os netos Gabriel, Pedro, Lucas e Henrique.

Nascido em Curitiba em 15 de novembro de 1934, Dotti formou-se em Direito pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) em 1958, quando começou a atuar na advocacia. Por quase seis décadas, contribuiu com o ensino jurídico, com diversos livros e pareceres. Integrou o corpo docente de várias universidades, bem como diversos conselhos e comissões, inclusive nos governos municipal, estadual e federal, além da Ordem dos Advogados do Brasil. Autor de pelo menos 10 livros e centenas de artigos, era referência para os alunos de Direito de todo o País.

Sua atuação foi aguerrida durante o regime militar, tendo atuado como defensor das liberdades e dos direitos fundamentais, lhe rendeu homenagens da Câmara dos Deputados e pela OAB pela atuação em defesa de presos e perseguidos políticos. Durante o período de excessão, chegou a ser monitorado e fichado pelo Departamento de Ordem Política e Social (Dops), órgão repressor da ditadura.

Teatro – Amante das artes, Dotti estudou teatro na juventude, foi crítico de literatura e de teatro. Era membro da Academia Brasileira de Direito Criminal, da Academia Paranaense de Letras, da Academia Paranaense de Letras Jurídicas e da Sociedade Mexicana de Criminologia. Também foi membro da Comissão de Juristas, instituída pelo Senado, para elaborar o anteprojeto do Código Penal.

Professor titular de Direito Penal da UFPR, Dotti também foi relator do anteprojeto da nova Lei de Imprensa. Como advogado, atuou ainda em casos polêmicos, tendo sido um dos redatores do pedido de impeachment do então presidente Fernando Collor, em 1992.

Autoridades lembram legado pró-democracia
Durante toda a quinta-feira (11/02), entidades, autoridades, políticos e personalidades lamentaram o falecimento do jurista René Dotti e lembraram o legado deixado pelo advogado.

O governo do Estado divulgou nota destacando que o paranaense “era reconhecido como um dos maiores advogados penalistas do Brasil” e “se destacou na luta contra a ditadura.

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa lamentou a perda, em nome de todos os deputados. “O Paraná perde um grande jurista, que sempre defendeu a nossa Nação democrática”, disse o presidente da Casa, Ademar Traiano (PSDB).

A Universidade Federal do Paraná decretou luto oficial de 3 dias. A secção paranaense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) fez o mesmo.

Foto:

Do Bem Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *