LONDRINA LANÇA PROGRAMA EMPREGATECH PARA CAPACITAR JOVENS NA ÁREA DE TI

Foto: Vivian Honorato/NCom

Na sexta-feira (11/03), o prefeito Marcelo Belinati e o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Ubiratan, lançaram o Programa EmpregaTech, que visa capacitar jovens de 17 a 25 anos de Londrina para as áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e em inglês avançado. O anúncio foi feito no gabinete do prefeito e contou com a presença de diversas autoridades.

Para selecionar a empresa que irá ofertar o curso e a seleção dos alunos, a Prefeitura de Londrina publicou um edital de chamamento, disponível no Jornal Oficial do Município nº 4579, de quinta-feira (10/03), a partir da página 49. A Organização da Sociedade Civil (OSC) ganhadora do chamamento deverá oferecer, no mínimo, 125 vagas na capacitação, sendo que o convênio deve durar seis meses. Para tanto, o Poder Público Municipal investirá, ao todo, R$ 200 mil.

Segundo o prefeito Marcelo Belinati, um estudo foi realizado no Município, em conjunto com as entidades e empresas ligadas à área, para entender quais eram as necessidades dessas últimas. Isso porque, as vagas de emprego existem, mas há uma dificuldade em preenchê-las.

“Londrina hoje é uma referência nacional na área de Tecnologia da Informação, tem 1.800 indústrias e empresas de TI. Temos, segundo as estimativas, perto de 3 mil vagas de empregos em aberto na cidade, com um nível salarial de R$ 4 mil a R$ 5 mil, e o que estava faltando era exatamente esse curso de qualificação. Precisamos de pessoas que tenham esses cursos e entendam desses sistemas, para elas possam ocupar as vagas abertas”, afirmou Marcelo.

A qualificação profissional trata-se de uma capacitação em programação avançada e em inglês, em que os alunos terão aulas de lógica de programação, Java, HTML, CSS e Javascript, além de inglês instrumental para mexer nos comandos dos softwares e aplicativos. Ao todo, serão 240 horas de curso, sendo que para participar é preciso ter entre 17 e 25 anos e estar cursando o ensino médio ou ter finalizado o mesmo.

De acordo com o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Ubiratan, o curso profissional será gratuito para os alunos e deve iniciar em maio deste ano, após a finalização do processo licitatório de contratação da empresa que ministrará as aulas. “Nós abrigamos empresas mundiais como a TCS e a Atos em Londrina, que têm um déficit de profissionais. O Programa EmpregaTech é algo pioneiro em nível de Paraná e Brasil, porque vai capacitar a mão de obra para as vagas abertas, que também serão monitoradas pelo Arranjo Produtivo de Londrina, o APL. Isso é muito importante para a cidade e acredito que terá um engajamento cada vez mais maior”, esclareceu Ubiratan.

Na oportunidade, o presidente do Arranjo Produtivo Local de Tecnologia da Informação (APL de TI) de Londrina; Thiago Zampieri, lembrou que vivenciou de perto essa realidade e que acredita ser preciso a colaboração e a união de todos da sociedade para a solução dessa lacuna que existe entre a contratação e a oferta de profissionais de TI. “Eu vim desse mercado e vi isso acontecer, mas antes não tinha essa possibilidade. Londrina prospera muito rápido, ela se une e faz as conexões para que as coisas aconteçam. Então, acredito que o programa vai resolver grande parte do problema das empresas aqui da região”.

Para os representantes das empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) instaladas em Londrina, a iniciativa vem em boa e hora e deve, realmente, ajudá-las na contratação de mão de obra especializada. “Nós do setor produtivo de Londrina temos diversas vagas e esse programa vai nos ajudar bastante. Hoje, a Atos Brasil tem 2.521 vagas abertas, sendo 530 em Londrina. Para nós, esse programa é muito bom, mas para a cidade de Londrina, vejo como um fomentador de mão de obra em TI”, disse o diretor da Atos Brasil, Savio Tadeu Rossi Ernst.

Na mesma linha, o CFO na Tata Consultancy Services (TCS), Francisco Junior, lembrou que 1.100 colaboradores já estão atuando na maior provedora de serviços e produtos de tecnologia de informação do mundo e que existem outras 700 oportunidades de emprego somente na sede que fica em Londrina. “Durante a semana inteira, tivemos diversas reuniões para discutirmos como podemos furar essa bolha. Dos muitos pontos positivos que tem esse projeto, eu elenco dois, que são: a empregabilidade e a desmitificação da área de TI, que está aquecida, mas muitos jovens não a conhecem”, ressaltou Junior.

Sobre isso, o secretário do Trabalho, Emprego e Renda de Londrina, Gustavo Santos, explicou que a ideia é utilizar a capilaridade da Prefeitura de Londrina para apoiar as empresas que querem contratar jovens e, ao mesmo tempo, mostrar para a população que existe muita demanda e emprego na área de TIC. “Sabemos que a demanda existe, por isso estamos atuando de forma positiva, buscando as empresas para conseguirmos aproveitar a capilaridade da Prefeitura de Londrina e chegarmos na ponta, no jovem que não tem conhecimento técnico e acha que é só quem é formado na área tem condição para suprir a demanda”, pontuou Santos.

Atualmente, as empresas podem contar com a parceria da Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal do Trabalho, Emprego e Renda, na hora da contratação de profissionais. Isso porque, a Agência do Trabalhador fica sediada no prédio da SMTER e ajuda na divulgação das oportunidades. “O Estado do Paraná foi o quarto maior Estado brasileiro na geração de empregos em 2021. Temos 216 Agências do Trabalhador, que fazem a intermediação entre as empresas e os trabalhadores, porque sabemos que emprego é oportunidade, é renda e dignidade para a população”, lembrou a representante do Governo do Estado do Paraná e chefe do Escritório Regional da Secretaria de Estado da Família, Justiça e Trabalho, Deise Tokano.

Para ela, o EmpregaTech vem sanar dois gargalos existentes no município e no país, que são a falta de capacitação e preparo para o mercado de trabalho e o preenchimento das vagas que já estão ofertadas no setor produtivo. “São iniciativas como essa que fazem do Paraná um celeiro de emprego”, concluiu Tokano.

Além das autoridades já mencionadas, estiveram presentes no lançamento do programa da Codel: o representante da Associação Brasileira de Tecnologia, Inovação e Comunicação Brasil (ABRATIC), Devanir Fonseca; o presidente do Sinduscon, Sandro Nóbrega, os vereadores Ailton Nantes, Matheus Thum e Jairo Tamura; o chefe de gabinete, Moacir Sgarioni, o vice-prefeito, João Mendonça, e o secretariado municipal.

Da Prefeitura de Londrina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *