JUSTIÇA CONDENA A VEREADORA KATIA DITTRICH A PRISÃO

JUSTIÇA CONDENA A VEREADORA KATIA DITTRICH A PRISÃO

A vereadora curitibana Kátia Dittrich (SD), conhecida como Kátia dos Animais de Rua, foi condenada a cinco anos e seis meses de prisão por exigir parte dos salários de dois funcionários do seu gabinete,  sob ameaças de serem demitidos, caso não obedecessem.

O caso ocorreu no fim de 2017. A decisão é da última quinta-feira (20/02), do juiz José Daniel Toaldo, da 11ª Vara Criminal do Foro Central da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba.

Na denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR) eram quatro diferentes episódios em que Kátia era investigada das vantagens indevidas. A Justiça acatou dois casos e a absolveu dos demais, conforme a decisão.

Além disso, a vereadora também perdeu o mandato pelo crime de corrupção. Conforme a decisão, Kátia “agiu com culpabilidade acima do normal, tendo em vista se tratar de vereadora eleita para exercer a sua função pública pautada no interesse público e no respeito às leis”.

Ao invés disso, de acordo com a decisão, ela “optou por exigir vantagem indevida de seu próprio assessor, valendo-se do seu cargo e da natureza de cargo em comissão”.

O marido dela, Marcos Pinheiro Withers, também foi condenado a cinco anos de prisão em regime fechado, pelo crime de concussão.

De acordo com o juiz, Withers exercia atividades na Câmara Municipal de Curitiba juntamente com Kátia Dittrich e, mesmo que “não ocupante de cargo público, sua ação ofendeu primados de interesse público e respeito às leis, pois exigiu vantagem indevida de assessor parlamentar em exercício no gabinete de sua companheira”, diz trecho da decisão.

Os dois têm o direito de recorrer em liberdade.

A defesa de Kátia Dittrich e de Marcos Withers afirmou que não existem provas para as condenações, e que vai buscar a absolvição no Tribunal de Justiça. Segundo o advogado Dante D’Aquino, com a apresentação do recurso, Kátia deve ficar no cargo até que não haja mais recurso.

A Câmara Municipal de Curitiba informou que não foi notificada da decisão judicial.

Foto: Divulgação CMC

Do G1 Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *