GOVERNO DO PARANÁ PROPÕE REGRAS DE ISOLAMENTO MAIS RÍGIDAS EM CURITIBA E REGIÃO

GOVERNO DO PARANÁ PROPÕE REGRAS DE ISOLAMENTO MAIS RÍGIDAS EM CURITIBA E REGIÃO

Após aumento de casos do novo coronavírus, o Governo do Paraná propôs regras de isolamento mais rígidas para Curitiba e cidades da Região Metropolitana, que devem valer a partir de sexta-feira (19/06).

Entre as medidas apresentadas, está a proibição da entrada de crianças em mercados e do consumo de bebidas alcoólicas nas ruas após 22h.

Também deve ser determinado o fechamento dos shoppings aos fins de semana.

As regras foram anunciadas em uma reunião por videoconferência, entre o governador Ratinho Júnior (PSD) e os prefeitos da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec), nesta quarta-feira (17/06).

Decreto
O governo disse que as novas medidas devem passar a valer quando forem publicadas em um novo decreto, que está sendo montado, com previsão de publicação para sexta-feira.

Conforme o anúncio, haverá escalonamento dos horários de funcionamento do comércio para evitar aglomerações em horários específicos e também dos horários de trabalho de funcionários terceirizados das prefeituras.

Na reunião, o governador disse que o decreto deve prever reforço na orientação sobre o isolamento social para idosos e que deve proibir aglomerações em pátios de postos de combustíveis, praças e parques dos municípios.

O governo consultou os prefeitos, ainda na reunião, sobre a necessidade de que o documento também apresente medidas que controlem os problemas de aglomeração no transporte público.

Segundo o boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) na quarta-feira (17), o Paraná tem 386 mortes e mais de 11 mil casos confirmados.

De acordo com a Sesa, os maiores índices de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria para adultos estão na macrorregião leste, que vai do centro-sul ao litoral, passando passando por Curitiba e pelas cidades da Região Metropolitana.

As taxas de ocupação de leitos exclusivos para pacientes com Covid-19, pela rede pública de saúde, na região são de 74% nas UTIs e 41% nas enfermarias, conforme a secretaria.

Bandeira laranja em Curitiba
Um decreto anunciado no sábado (13), pela Prefeitura de Curitiba, estabeleceu medidas mais rígidas de combate à Covid-19 na cidade. As regras passaram a valer na segunda-feira (15).

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a bandeira sinalizadora da situação da cidade diante da pandemia do novo coronavírus passou de amarelo, nível 1, para laranja, nível 2, de alerta médio.

Com o decreto, foi definido o fechamento de serviços como academias e atividades de práticas esportivas, igrejas e templos religiosos, praças e parques.

No anúncio da mudança de bandeira, a secretária de saúde do município, Márcia Huçulak, destacou que as medidas foram tomadas por causa da expansão da transmissão da Covid-19 na cidade, bem como do aumento de atendimentos na rede de saúde e de casos da doença.

Academias
Na segunda-feira, representantes do setor de academias se reuniram com a prefeitura após um protesto para pedir a reabertura dos estabelecimentos.

Após a reunião, o setor anunciou que havia entrado em acordo com o município e que poderiam reabrir a partir de terça-feira.

A prefeitura, no entanto, disse que ainda iria elaborar um documento com novas medidas, incluindo um Termo de Responsabilidade Sanitária para o Enfrentamento da covid-19, obrigatório para que as academias pudessem reabrir.

Na terça-feira, o município sinalizou que poderia publicar um novo decreto mas, depois, a Secretaria Municipal de Saúde informou que, em decorrência do agravamento do cenário da Covid-19 em Curitiba, pretende continuar avaliando as mudanças para alguns setores como academias e restaurantes.

Segundo anúncio do município, tão logo haja uma consolidação do quadro e segurança para que modificações sejam implementadas, o novo regramento deve ser publicado.

Sem mudanças no decreto e nem um novo decreto publicado, as regras mais restritas, que valem desde a segunda-feira, continuam em vigor, e as academias continuam proibidas de reabrir.

Ocupação de leitos na capital
Nesta quarta-feira, a prefeitura informou que está operando com 28 leitos de UTI a menos por causa de falta de equipes médicas.

Com isso, conforme o município, o número de UTIs em operação na capital é de 199 pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com a prefeitura, o índice de ocupação nos leitos é de 84%. Se as 28 unidades estivessem funcionando, o percentual de ocupação seria menor.

Foto: Rodrigo Felix Leal / AEN

Do G1 Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *