GOVERNO DO PARANÁ CONFIRMA PARCERIA COM LABORATÓRIO CHINÊS EM VACINA CONTRA COVID-19

GOVERNO DO PARANÁ CONFIRMA PARCERIA COM LABORATÓRIO CHINÊS EM VACINA CONTRA COVID-19

O governo do Paraná informou nesta segunda-feira (28/07) que está formalizando uma parceria com a China para testagem e produção de uma vacina contra o novo coronavírus, por meio do Instituto de Tecnologia do estado (Tecpar). Apesar de o acordo ainda não estar formalmente assinado, o governo diz que a parceria já está confirmada. A ideia é que a vacina possa ser aplicada ainda este ano, de acordo com o governo.

O acordo foi discutido nesta segunda pelo governador do Paraná, Ratinho Junior, dirigentes do laboratório Sinopharm, empresa estatal chinesa, e o ministro-conselheiro da Embaixada da China no Brasil, QU Yuhui. Segundo o governo, o próximo passo é a formação de um grupo para discutir detalhes técnicos da parceria.

O Paraná será incluído na terceira fase de testes do imunizante, que começou a ser aplicado neste mês em 15 mil voluntários nos Emirados Árabes. De acordo com a Sinopharm, as duas primeiras fases de testes tiveram 100% de aprovação. Além da participação de voluntários do Paraná, o objetivo é que o Tecpar também faça a produção da vacina.

Essa é a terceira frente de participação brasileira na testagem e produção de uma vacina contra a Covid-19.

A primeira delas é uma parceria entre a empresa AstraZeneca, a Universidade de Oxford, no Reino Unido, a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e o Instituto D’Or, no Rio de Janeiro. O Brasil entrou com 2 mil voluntários na terceira fase dos testes.

A segunda participação, por meio de um acordo firmado entre o Instituto Butantan e a empresa chinesa Sinovac Biotech, envolve 9 mil voluntários de São Paulo, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Minas Gerais, Paraná e Rio de Janeiro. 

A fase de testes teve início na semana passada e deve seguir nos próximos três meses. Se a resposta for positiva, a expectativa é conseguir o registro da vacina junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) neste ano e começar a produção e a vacinação já em 2021.

Parceria russa
Em paralelo, o governo do Paraná também disse que realizou uma conversa com a Rússia para tentar um acordo para outra vacina contra a Covid-19. Um imunizante também está em fase final de testes no país russo.

O chefe da Casa-Civil do Paraná, Guto Silva, se reuniu com o embaixador da Rússia no Brasil, Sergey Akopov. O assunto ainda deve ser tratado nos próximos dias entre o governador do PR e o embaixador Akopov. Por enquanto, não há acordo firmado, segundo o governo.

Em nota, a Embaixada da Rússia no Brasil confirmou o encontro entre o embaixador Akopov e o governo do Paraná, no dia 24 de julho. “As partes conversaram sobre as possibilidades de cooperação na área de pesquisa, desenvolvimento e testes da vacina contra a Covid-19”.

Afirmou, ainda, que é um contato inicial: “Estamos aguardando uma carta oficial do governo do Paraná para encaminhá-la para avaliação das instituições responsáveis da Rússia”. A Embaixada também salientou que a busca por uma vacina contra Covid-19 não deve ser “objeto de corrida”. O desenvolvimento da vacina deve ser resultado de esforços internacionais conjuntos. A solução da atual crise epidemiológica que afetou todos os países não pode ser um objeto de corrida entre os estados, mas uma causa justa para unirmos os esforços”.

Foto: Rodrigo Felix Leal – AEN

Da Revista Época

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *