GOVERNADOR LAMENTA A MORTE DE SICUPIRA, MAIOR ARTILHEIRO DO ATHLETICO

Foto: Reprodução/Youtube do Athletico Paranaense

O governador Carlos Massa Ratinho Junior expressa extremo pesar pela morte do ex-jogador e comentarista esportivo Sicupira, maior artilheiro do Athletico Paranaense e ídolo da torcida rubro-negra. Barcímio Sicupira Júnior tinha 77 anos e faleceu neste domingo (07/11), em sua residência, em Curitiba.

Como atleta, Sicupira defendeu o Athletico por oito temporadas e é considerado o maior artilheiro do clube paranaense, com 158 gols marcados, muitos inesquecíveis pela habilidade e beleza. Depois de encerrar a carreira de atleta, foi treinador do clube por um curto período e seguiu, por décadas, como profissional de rádio, televisão e da mídia impressa.

“Domingo triste para o esporte paranaense com o falecimento de Sicupira, ídolo no Paraná e admirado em todo o Brasil. Um homem que deixou marca no nosso futebol e ajudou a fortalecê-lo no País”, disse Ratinho Junior.

“Tenho grande carinho por Sicupira e, como atleticano, também o tinha como um ídolo. Torcedores do Coritiba, do Paraná Clube, Londrina, Operário, Cascavel e todos os que gostam do bom futebol o admiravam”, afirmou, lembrando que, como comentarista e cronista esportivo, Sicupira deixou sua marca também no rádio paranaense.

“Minha condolência à família, aos fãs e admiradores e, sobretudo, meu agradecimento a Sicupira, que ajudou nosso futebol a se consolidar e a ser a potência que é hoje”, afirmou.

O velório de Sicupira foi realizado na Assembleia Legislativa do Paraná, em Curitiba. No mês passado, o ex-jogador recebeu da Casa o título de Cidadão Benemérito do Paraná.

Prefeitura decreta luto oficial
A Prefeitura de Curitiba decretou luto oficial de um dia pela morte de Sicupiera. O jogador ganhou o apelido de “Craque da 8”, em alusão ao número da camisa que vestia.

“Perdemos hoje o lendário jogador de futebol Barcímio Sicupira, um orgulho de Curitiba e um dos grandes nomes do futebol paranaense. Vá em paz bom amigo. Descanse em paz”, afirma o prefeito Rafael Greca.

Trajetória
Nascido na cidade da Lapa, em 1944, Sicupira começou a carreira pelo antigo Ferroviário, em 1962. Foi para o Botafogo dois anos mais tarde. Brilhou ao lado de craques da época: Garrincha, Zagallo, Nilton Santos e Jairzinho. O meia-atacante ficou por três anos no time da Estrela Solitária , depois, foi para outro Botafogo, de Ribeirão Preto, onde ficou por um ano.

Em 1968, então, Sicupira chegou ao Athletico. Logo em sua estreia, em uma partida contra o São Paulo, fez um gol de rara beleza, acertando uma bicicleta da entrada da área, jogada que acabou virando uma de suas principais características.

Artilheiro nos Campeonatos Paranaenses de 1970 e de 1972, o “Bigode” recebeu uma proposta e foi atuar durante o restante da temporada de 72 no Corinthians, ao lado de Rivelino, e marcou um dos gols mais importantes da história do clube, numa semifinal de Campeonato Brasileiro, de acordo com o livro “Corinthians – 100 anos de paixão”.

No final da disputa do Brasileirão, Sicupira voltou ao Furacão para encerrar a sua carreira em 1975, com apenas 31 anos, atingindo a importante marca de 158 gols pelo Athletico.

Livro
Sicupira era comentarista de rádio e televisão desde 1976. Formado em Educação Física, ele também foi professor universitário e da rede municipal de ensino público.

Em 2020, o jogador teve sua biografia lançada no livro “Sicupira – A Vida e os Gols de um Craque Chamado Barcímio” de autoria do advogado e jornalista Sandro Moser.

Com informações da AEN e SMCS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *