EUA REJEITAM PEDIDO POR CENTRO DE EMISSÃO DE VISTOS EM CURITIBA

Foto: Jonathan Campos/AEN

A tentativa de Curitiba de abrigar um novo Centro de Atendimento aos Solicitantes de Vistos (Casv) para os Estados Unidos no Brasil não terminou como os paranaenses desejavam. O pedido, feito em junho de forma conjunta entre o prefeito da capital, Rafael Greca (DEM), e o governador do estado, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), foi negado pelas autoridades norte-americanas. As informações são de Fábio Calsavara, da Gazeta do Povo.

Greca e Ratinho Junior tiveram a oportunidade de apresentar a demanda ao então embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman, durante uma visita do diplomata ao Paraná, em 17 de junho. A intenção era trazer para Curitiba um serviço que hoje só há em São Paulo, Porto Alegre, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro ou Recife.

“Temos interesse em também conceder essa permissão, melhorando as condições para o cidadão que mora no Paraná. Tanto aqueles que querem ou precisam viajar para os Estados Unidos quanto aqueles que precisam vir para cá”, afirmou o governador, na ocasião do encontro.

Para Greca, as relações de turismo e comércio entre a capital paranaense e o país da América do Norte justificariam a existência de um novo Casv em Curitiba. “Hoje os curitibanos precisam se deslocar até São Paulo para fazer a solicitação”, disse, reforçando o pedido do governador.

Chapman se mostrou bastante solícito ao pedido, e prometeu dar seguimento à demanda junto ao governo norte-americano. “Peço que se planejem, pensem na possibilidade de uma parceria para a diminuição de custos, com um ambiente compartilhado, por exemplo, ou a disponibilidade do serviço em alguns dias da semana. Façam a proposta que me comprometo a encaminhar”, respondeu o embaixador.

Pouco tempo depois, no entanto, em 23 de julho, Chapman anunciou o fim de seu trabalho na Embaixada dos EUA no Brasil. Em carta publicada no site oficial da embaixada, Chapman agradeceu pelo tempo em que passou no país desde que veio ao Brasil, ainda criança, em 1974.

“Minha adolescência provavelmente tem muito em comum com a de muitos brasileiros. Ouvi MPB, troquei figurinhas de Carlos Alberto e Roberto Rivelino, e comi muito pão de queijo com meus amigos brasileiros, que guardo para o resto da minha vida. Essas são apenas algumas imagens, sons e alegrias do Brasil – um país com grande coração, grande força e grande futuro. O coração do Brasil é seu povo. Brasileiros e norte-americanos compartilham história, valores e a nossa facilidade para tornar estranhos em amigos. Estamos culturalmente conectados”, reforçou. Um novo embaixador ainda não havia sido designado para o cargo até esta sexta-feira (06/08).

Sinalização negativa
Uma fonte da Prefeitura de Curitiba ouvida pela Gazeta do Povo informou que após a carta com o pedido formal ter sido entregue ao embaixador, o próximo passo “dentro do rito não-escrito das relações internacionais” era aguardar uma sinalização por parte do governo dos EUA – o que, com a oficialização do novo embaixador, finalmente aconteceu.

Procurada pela reportagem, a Embaixada e os Consulados dos EUA no Brasil, por meio de sua assessoria de imprensa, enviaram uma nota na qual explicam que a demanda foi apresentada ao Departamento de Estado do governo dos EUA, mas que “neste momento, o governo dos Estados Unidos não tem planos de abrir um Casv no Paraná”.

Leia a nota na íntegra:
“Os paranaenses são muito bem-vindos nos Estados Unidos e estamos constantemente avaliando formas de facilitar o processo de solicitação de visto. A Embaixada compartilhou o pedido do governo do Paraná com o Departamento de Estado, mas, neste momento, o governo dos Estados Unidos não tem planos de abrir um CASV no Paraná”.

Da Gazeta do Povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *