EM OUTUBRO, PARANÁ BATE MÉDIA HISTÓRICA DE CHUVAS PELA 2ª VEZ NO ANO

Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Pela segunda vez ao longo do ano choveu mais do que a média histórica no Paraná em um mês, colaborando para amenizar a crise hídrica que acompanha o Estado desde o ano passado. As informações são da AEN

Um levantamento realizado pelo Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) mostrou que a chuva acumulada de outubro em dez cidades de diferentes regiões do Estado foi 3.006,8 milímetros (mm), ante uma expectativa de 1.892 mm. Ou seja, cerca de 59% acima do esperado para o período.

O monitoramento foi feito em Guaratuba, Curitiba, Guarapuava, Londrina, Maringá, Francisco Beltrão, Paranavaí, Cornélio Procópio, Cascavel e Foz do Iguaçu.

Até então, apenas em janeiro a marca histórica conseguiu ser superada em 2021. Na ocasião, o Simepar apontou que a precipitação acumulada em oito pontos diferentes do Estado foi de 2.748,6 mm. O índice foi 67% superior à média – no primeiro mês choveu 343,5 mm, contra um histórico de 205,7 mm.

Agora, em outubro, as cidades com maior volume de chuvas foram Cascavel, com 455,4 mm, e Maringá, com 429 mm. A cidade-canção, inclusive, apresentou o maior acumulado desde 1998, quando o monitoramento começou a ser feito pelo Simepar. Cornélio Procópio, por sua vez, teve o maior índice desde 2018, com 251,6 mm.

Outros municípios com recordes quebrados foram Ubiratã (612,2 mm), Guaíra (492,8 mm), Cianorte (479,2 mm), Palotina (437,8 mm), Telêmaco Borba (396,8 mm), Cândido de Abreu (384,6 mm), Laranjeiras do Sul (359,2 mm), Altônia (358 mm), Jaguariaíva (352,4 mm) e Santo Antônio da Platina (168,2 mm).

“As chuvas foram bastante significativas em outubro, especialmente nas faixas Oeste, Norte e Centro do Estado. Essas precipitações impediram também que a temperatura se elevasse tanto, ficando abaixo da média para o mês”, explicou a meteorologista do Simepar, Lídia Mota.

CAPITAL – Outra boa notícia diz respeito à Curitiba. Também choveu mais do que o esperado na Capital: 161,2 mm, ante uma média de 150 mm (7,5%) para o mês. A água a mais ajuda a aumentar os níveis das barragens que abastecem a população da Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

Em rodízio no fornecimento desde 2020, o modelo em vigor atualmente é de 36 horas com água e interrupção também de 36 horas. Segundo a Sanepar, a estratégia seguirá pelo menos até 14 de novembro.

Ainda de acordo com a companhia, o atual índice das barragens é de 62,33%, composto pela média do Iraí (50,6%), Passaúna (64,92%), Piraquara 1 (75,20%) e Piraquara 2 (75,07%).

NOVEMBRO – A expectativa para novembro é de mais chuva. Segundo o Simepar, o transporte de umidade do oceano favorece a concentração das chuvas no Litoral e na RMC nesta terça-feira (02/11). No Interior o tempo fica mais estável, com temperaturas elevadas.

Condição que deve prevalecer ao longo da primeira quinzena do mês, sem apresentar, contudo, perspectiva de eventos mais severos. “Novembro será um pouco mais seco, com os índices abaixo ou próximos da média histórica esperada”, destacou a meteorologista.

Confira quanto choveu em outubro nos 10 pontos do Paraná analisados pelo Simepar

CURITIBA

Outubro de 2021: 161,2 mm

Média do período: 150 mm

Porcentual (chuva superior à média): 7%

LONDRINA

Outubro de 2021: 303,6 mm

Média do período: 164,7 mm

Porcentual: 84,7%

MARINGÁ

Outubro de 2021: 429 mm

Média do período: 163,8 mm

Porcentual: 163%

CASCAVEL

Outubro de 2021: 455,4 mm

Média do período: 228,8 mm

Porcentual: 99%

FOZ DO IGUAÇU

Outubro de 2021: 310,2 mm

Média do período: 243,3 mm

Porcentual: 27,5%

GUARAPUAVA

Outubro de 2021: 315,4 mm

Média do período: 208,4 mm

Porcentual: 51%

FRANCISCO BELTRÃO

Outubro de 2021: 279,2 mm

Média do período: 224,7 mm

Porcentual: 24,5%

GUARATUBA

Outubro de 2021: 321,4 mm

Média do período: 219,5 mm

Porcentual: 46,5%

PARANAVAÍ 

Outubro de 2021: 179,8 mm

Média do período: 149,8 mm

Porcentual: 20%

PARANÁ (10 CIDADES)

Outubro de 2021: 3.006,8 mm

Média do período: 1.892 mm

Porcentual: 59%

Confira os recordes históricos em outubro:

Fonte: SIMEPAR

Da AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *