‘É IMPRESSIONANTE COMO A RECEITA ATRAPALHA O DESENVOLVIMENTO DO BRASIL’, DIZ BOLSONARO

Em meio a críticas ao excesso de burocracia no país, o presidente Jair Bolsonaro afirmou em transmissão ao vivo na noite desta quinta-feira que a Receita Federal atrapalha o desenvolvimento do Brasil em algumas áreas. Ele disse ter ouvido pleitos de “megaempresários” em reunião realizada em São Paulo, sobre questões que cabem ao governo federal resolver. As informações são de Gustavo Maia n’O Globo.

E comentou que o ministro da Economia, Paulo Guedes, ficou “até meio assustado” com o diagnóstico.

– Fomos lá para ouvir os empresários. Aí ouvimos muitas coisas que compete a nós resolver, que são decretos presidenciais, portarias dos ministérios e também normas da Receita Federal. É impressionante. O Paulo Guedes ficou até meio assustado, né? Como a Receita atrapalha em algumas áreas o desenvolvimento do Brasil. É coisa terrível a burocracia, terrível – declarou Bolsonaro.

O presidente relatou que uma nova reunião com o grupo de aproximadamente 80 empresários foi marcada para junho e disse que pretende levar soluções para alguns dos pedidos apresentados na ocasião. Em seguida, destacou o que classificou como uma avaliação positiva dos participantes da economia na sua gestão. E criticou a imprensa.

– E o que foi muito bom falar com esses empresários é que eles estão felizes com o que está acontecendo com a economia do Brasil. Nunca sentiram tanta confiança no trabalho do governo como um todo no tocante à produção, à economia, a todos as áreas do Brasil. A gente vê a imprensa, por outro lado, criticando, falando mal do PIB. “Ó o pibinho, o pibinho, não sei o quê”. Se esses caras, se a imprensa produzisse alguma coisa, produzisse verdade, o Brasil estaria muito melhor, com toda a certeza. Mas não produz verdade – declarou.

Sobre o resultado do PIB, ele se referiu à explicação de Guedes de que houve altos e baixos nos últimos anos, e que o governo Dilma Rousseff teve dois saldos negativos, em 2015 e 2016, de 3,5% e 3,3%, respectivamente.

– Gostaríamos que não fosse negativo. No primeiro [ano do] governo Temer já deu uma recuperada passou de -3,3, para 1,3%. Foi um crescimento de 4,6%, não é crescimento é diferença, do negativo para o positivo dá 4,6%. No segundo [ano] governo Temer deu 1,3%. O nosso deu 1,1% – relatou.

Bolsonaro então comentou que a imprensa não noticiou o que o ministro da Economia explicou aos empresários na Fiesp, que no último trimestre, o PIB cresceu 1,7% com maior participação privada do que do setor público.

– Então se fosse 1,7% em cada trimestre, seria 1,7%, seria acima de 1,3% do governo Temer, mas diz que houve muito mais participação da iniciativa privada do que o serviço público na questão de fazer o número final do PIB. Então está muito bem a economia, graças a Deus, segundo o Paulo Guedes e a equipe econômica, testemunhado e comprovado pelos empresários e a imprensa vai ganhando cada vez mais descrédito. Lamentável o que acontece com a imprensa brasileira – criticou.

Foto: Alan dos Santos / PR

D’O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *