DOS 7 CASOS DA VARIANTE DELTA NO PR, 3 FORAM À ÓBITO; MINISTÉRIO E SECRETARIA EM ALERTA

Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Equipes do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Único de Saúde, do Ministério da Saúde, seguem neste domingo (11/07) com o trabalho de coleta de dados e informações para a investigação sobre a circulação da variante Delta no Paraná. As informações são da Agência de Notícias do Paraná.

48 horas após o início da etapa de coleta de dados do inquérito ampliado, a equipe do Ministério da Saúde e Vigilância emitiu o primeiro informativo com balanço das atividades realizadas até o momento. Foram promovidas reuniões com o secretário de Estado da Saúde Beto Preto, com as equipes de Vigilância da Sesa e dos municípios para detalhamento da situação de cada um dos sete casos confirmados, além das características de cada cidade onde os casos da variante foram detectados, que são Apucarana, Rolândia, Mandaguari e Francisco Beltrão.

No Paraná, a transmissão encontra-se em investigação. Dos sete casos confirmados da variante, três foram a óbito e quatro seguem em monitoramento clínico.

“O Paraná está atento aos casos com todas as variantes de atenção e por isso o convite ao MS para que nos apoiasse na investigação. O EpiSUS integra o centro global de investigações, o Field Epidemiology Trainning Program (FETP-Brasil), que é um programa mundial especializado em epidemiologia de campo e outras competências de saúde pública, com atuações recentes envolvendo respostas rápidas de situações ligadas à pandemia da Covid19”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

“A importância deste trabalho é para reforçar o rigor do nosso acompanhamento quanto aos dados epidemiológicos para fortalecermos as tomadas de decisões”, completou

INVESTIGAÇÃO – Depois do aprofundamento das informações dos casos os investigadores já definiram a metodologia que será aplicada.

As equipes do MS estão atuando em duas frentes, uma em Francisco Beltrão, que investiga o caso da Delta ocorrido no âmbito do município, e outra que está baseada em Londrina, e que investiga os casos confirmados em Apucarana, Mandaguari e Rolândia.

Da Agência de Notícias do Paraná.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *