DESDE INÍCIO DA PANDEMIA, MAIS DE 800 MIL PARANAENSES TIVERAM QUADRO DE SÍNDROME GRIPAL

DESDE INÍCIO DA PANDEMIA, MAIS DE 800 MIL PARANAENSES TIVERAM QUADRO DE SÍNDROME GRIPAL

Desde que a pandemia do novo coronavírus se instalou em solo paranaense, em meados de março, mais de 800 mil  pessoas que estavam ou são do Paraná apresentaram sintomas leves ou moderados de síndrome gripal, em casos considerados suspeitos de Covid-19. É o que mostram dados oriundos do sistema e-SUS Notifica, desenvolvido neste ano pelo Ministério da Saúde para atender a alta demanda de notificações devido à pandemia. As informações são de Rodolfo Luis Kowalski, do Bem Paraná.

As informações, disponibilizadas ao público por meio do Portal Brasileiro de Dados Abertos, mostram que o Paraná havia notificado até a última segunda-feira (9 de novembro) um total de 802.005 casos de síndrome gripal. Isso equivaleria a 7% da população paranaense tendo apresentado sintomas. Importante destacar, contudo, que as notificações não envolvem apenas moradores do Paraná, mas também pessoas de outros estados que foram atendidas em unidades de saúde por aqui.

De acordo com os protocolos do Ministério da Saúde, a notificação imediata dos casos de síndrome gripal deve ser inserida no e-SUS Vigilância Epidemiológica (e-SUS VE) pelas unidades públicas ou privadas (unidades de atenção primária, consultórios, clínicas, centros de atendimento, pronto atendimento, entre outros de baixa complexidade) por meio do e-SUS Notifrica. Isso se aplica a todo o território nacional. Caso seja realizado teste laboratorial diagnóstico da Covid-19, RT-PCR ou sorológico, o resultado também deve ser registrado no sistema.

Do total de casos de síndrome gripal notificados, consta ainda no sistema que 759 foram testados, com 94,2 mil resultados positivos para Covid-19, 664,7 mil negativos e 20 testes cujos resultados foram inconclusivos ou indeterminados. Além disso, outros 43 mil pacientes não fizeram o teste, mesmo apresentando sintomas suspeitos para a doença.

Casos agudos graves estão seis vezes acima da média histórica
Além dos casos de síndrome gripal, o Paraná também tem registrado nos últimos tempos (assim como acontece no restante do país) uma atividade alta com relação aos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que, por definição, são casos respiratórios mais graves, com maiores complicações do que as síndromes gripais.

Estatísticas do InfoGripe, da Fiocruz, mostram que desde o início do ano foram registrados 16.856 casos de SRAG no Paraná, o que indica um recorde absoluto para a série histórica, iniciada em 2010. Nos 10 anos anteriores, a média de registros por ano até a semana 43 havia sido de 2.842. Isso significa que, no ano, o número de registros está 493% acima da média.

Para deixar ainda mais claro o que os casos de SRAG no Paraná representam neste ano, entre 2010 e 2019, considerando os anos cheios, o InfoGripe havia notificado um total de 30.757 caso. Em 2020, em pouco mais de 10 meses, já são 16.856 registros, o equivalente a 54,8% do total registrado nos 10 anos anteriores.

Foto: Antonio Americo / Sesa

Do Bem Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *