CURITIBA E PARANÁ PODEM PERDER VERBA PARA REVITALIZAÇÃO DO CONTORNO SUL, ALERTA FRUET

CURITIBA E PARANÁ PODEM PERDER VERBA PARA REVITALIZAÇÃO DO CONTORNO SUL, ALERTA FRUET

Em reunião na manhã desta segunda-feira (10/08) com a bancada do Paraná na Câmara Federal, o representante do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), afirmou que, apesar dos estudos, não há indicação de investimento do governo. O DNIT sinalizou que o governo federal deve incluir a obra no programa de concessões do Ministério da Infraestrutura.

Essa informação, que será confirmada pelo órgão nos próximos dias conforme orientação do diretor-geral General Santos Filho, pode fazer com que os usuários do trecho tenham que esperar décadas pela revitalização. “É urgente uma mobilização muito forte do governo do estado, prefeitura e bancada federal e acompanhar também o estudo das concessões e o plano de exploração rodoviária”, afirma o deputado federal Gustavo Fruet (PDT).

A obra, orçada em mais de R$ 550 milhões, chegou a ser incluída no Plano Plurianual da União de 2020 a 2023 graças a emenda aprovada no ano passado. Com a aprovação da emenda em plenário, a expectativa era de que o próprio governo licitasse a execução. Desde 2009, verificou-se a necessidade de adequação do trecho. Nele trafegam diariamente milhares de veículos, sendo que boa parte constituída de ônibus e caminhões, ocasionando tráfego intenso e acidentes.

O Contorno Sul interliga quatro trechos de rodovias federais. Conecta o interior do Estado do Paraná a Curitiba e parte do transporte ao Porto de Paranaguá. Inicia-se na BR-116, no sentido Porto Alegre, e termina na BR-277, no sentido Campo Largo.

Foto: Michel Jesus / Câmara dos Deputados

Do Bem Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *