CURITIBA E O PARANÁ TÊM MAIS UM DIA DURO NA PANDEMIA COM RECORDE DE MORTES

CURITIBA E O PARANÁ TÊM MAIS UM DIA DURO NA PANDEMIA COM RECORDE DE MORTES

Curitiba e o Paraná registraram nesta terça-feira (16/03) o maior número de mortes pela Covid-19 desde o início da pandemia. A Secretaria de Estado da Saúde divulgou mais 5.790 casos e 310 óbitos pelo novo coronavírus. O número de mortes é o maior já divulgado em um só dia desde o início da pandemia. Porém, para mostrar que o momento atual é dramático, o último recorde nem está tão longe: foi no dia 10 de março, com 244 óbitos. As informações são do Bem Paraná.

Já Curitiba registrou na segunda-feira 1.213 novos casos de Covid-19 e 41 óbitos de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus, conforme boletim da Secretaria Municipal da Saúde.

Trinta e dois desses óbitos ocorreram nas últimas 48 horas. É o maior número de óbitos registrados em um só boletim, exceto aqueles que incluem dois dias, como é o caso do boletins de segundas-feiras, que trazem números somados de dois dias. Até então, o dia com maior confirmação de mortes havia sido na semana passada, dia 12, com 34.

Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 764.529 casos confirmados e 13.826 mortos em decorrência da doença. Curitiba tem no total 3.305 mortes na cidade provocadas pela doença e 159.950 moradores de Curitiba testaram positivo.

Até segunda-feira, 2.468 pacientes com diagnóstico confirmado estavam internados. Eram 2.019 em leitos SUS (882 em UTI e 1.137 em leitos clínicos/enfermaria) e 449 em leitos da rede particular (234 em UTI e 215 em leitos clínicos/enfermaria).

Havia outros 2.758 pacientes internados, 838 em leitos UTI e 1.920 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estavam em leitos da rede pública e particular e são considerados casos suspeitos.

Por um leito

Pacientes à espera de um leito também estava no seu maior número na pandemia. Na segunda-feira, até o final da manhã, eram 1.357 pessoas aguardando um leito SUS-Covid. Na segunda-feira eram 1.320, também um recorde. Na Grande Curitiba eram 485 pessoas nesta situação, sendo 184 esperando um leito UTI e 301 por um leito clínico ou de enfermaria.

A maioria dos hospitais da região trabalham perto do limite de atendimento para casos de Covid. Nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) de Curitiba transformadas em hospitais a situação também é crítica.

Na segunda-feira, o cenário era desalentador. Pacientes esperavam do lado de fora. Ambulâncias faziam fila aguardando autorização para desembarcar pacientes. Tudo porque as unidades estão lotadas.

Na semana passada, quando decretou a bandeira vermelha na Capital, o prefeito Rafael Greca apontou para esta situação. Segundo ele, as medidas que em princípio deveriam dar uma folga ao sistema por algumas semanas, acabaram esgotadas em pouco tempo, por causa do avanço feroz da Covid-19, neste que já é o março mais duro da história da cidade.

Foto: Geraldo Bubniak / AEN

Do Bem Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *