COVID-19: COMISSÃO DENUNCIA VACINAÇÃO EM PESSOAS QUE JÁ MORRERAM EM UMUARAMA

COVID-19: COMISSÃO DENUNCIA VACINAÇÃO EM PESSOAS QUE JÁ MORRERAM EM UMUARAMA

Umuarama já é alvo de investigação do Ministério Público (MP) sobre desvio de recursos da saúde que podem chegar a R$ 19 milhões e de doses de vacina contra a covid-19. Sete pessoas foram presas e 62 mandados de busca e apreensão foram cumpridos na Operação Metástase do MP na cidade.

Nesta sexta-feira (21/05), a Comissão Especial da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), que apura fraudes na vacinação contra a covid-19 no Estado, esteve em Umuarama. E acrescentou mais um caso grave à apuração. De acordo com o presidente da comissão, deputado Delegado Francischini, a denúncia é que duas pessoas que já morreram há alguns anos tiveram CPF informado na lista de vacinados contra a covid-19 na cidade.

“Uma comissão fez duas diligências na cidade de Umuarama, depois de ter passado por Apucarana, ouvindo a falsa enfermeira. Em Umuarama, nós estivemos com o prefeito e a equipe de Saúde, recebendo quais foram as providências que o prefeito tomou depois da Operação Metástase. O prefeito encaminhou para nós todas as informações iniciais, ainda, das providências que ele está tomando. Por outro lado, também fizemos uma diligência, junto ao Ministério Público, e compartilhamos dois casos graves, de pessoas mortas que aparecem na lista de vacinação na cidade de Umuarama. […] Está acontecendo em todo o Estado do Paraná e temos que identificar se há uma quadrilha atuando, se são pessoas que estão usando CPF de mortos para furar a fila de vacinação, então Umuarama vai servir como case para identificarmos qual a forma de atuação dessas pessoas”, detalha.

De acordo com ele, a Controladoria Geral da União (CGU) fez um cruzamento de dados com a lista de vacinação do Estado do Paraná e identificou 100 CPFs de pessoas mortas. “10 já foram excluídos e 90 persistem. Desses 90 que estão em apuração na comissão especial da Alep, dois casos são em Umuarama, onde já houve uma operação do MP, por isso a comissão se deslocou até Umuarama para obter informações na diligência do prefeito, quais informações ele tem e compartilhamos também com o MP”, frisa o deputado Delegado Francischini.

Segundo o deputado, as informações e documentos foram entregues ao Ministério Público para investigação.

A reportagem não conseguiu contato com a Prefeitura de Umuarama.

Foto: Jonathan Campos / AEN

Do GMC Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *