COPEL TELECOM, ÚLTIMA ESTATAL BRASILEIRA NO SEGMENTO, VAI A LEILÃO NESTA SEGUNDA

COPEL TELECOM, ÚLTIMA ESTATAL BRASILEIRA NO SEGMENTO, VAI A LEILÃO NESTA SEGUNDA

Nesta segunda-feira (09/11), a última telecom estatal em atuação no Brasil vai a leilão na B3 – a bolsa de valores oficial do país. Com valor mínimo de R$ 1,4 bilhão, a privatização da Copel Telecom, empresa que hoje pertence à empresa paranaense de energia Copel, deverá atrair grandes players do país. De acordo com sua controladora, a decisão pela venda levou em conta a necessidade de investimentos elevados para manter a rede de fibra ótica competitiva e a estratégia da própria Copel de focar em seu principal negócio: energia elétrica. As informações são de Carlos Coelho, da Gazeta do Povo.

Fundada em 1998, a Copel Telecom chegou a dominar 67% das telecomunicações via fibra ótica no estado, onde atua com exclusividade. Nos últimos anos, porém, a competição se acirrou e a empresa viu seu domínio cair – embora ainda tenha 21,9% da fatia do mercado e esteja bem à frente da Vivo, segunda colocada, com 12%. Essa aproximação dos concorrentes é um dos fatores para a venda, aponta a companhia.

De 2009 a 2018, segundo números da companhia, houve necessidade de R$ 1,26 bilhão em investimento. Com o acirramento da concorrência, a limitação na capacidade de investimento da estatal dificulta a manutenção da empresa em bom posicionamento no mercado. “Esse negócio virou um negócio para capital intensivo, para escala, para serviços multiplataformas, de alta concorrência, num ambiente hostil para uma empresa estatal. Tanto que a Copel é a última estatal de telecomunicações do Brasil a ser privatizada”, disse o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero, em entrevista à Gazeta do Povo, em setembro.

Apesar disso, a telecom tem mantido bons números. Em 2019, a receita líquida da empresa foi de R$ 410 milhões – como comparativo, em 2016, esse valor era de R$ 323 milhões. No primeiro trimestre deste ano, impulsionada pela demanda de conectividade causada pela pandemia, os resultados parciais indicam alta no desempenho financeiro: somente no primeiro trimestre desse ano, a receita foi de R$ 392 milhões.

Foto: Reprodução

Da Gazeta do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *