CONVENÇÃO COLETIVA VAI FORMALIZAR FUSÃO PSL-DEM E CRIAÇÃO DO UNIÃO BRASIL

Luciano Bivar e ACM Neto – montagem fotos: Câmara dos Deputados/Instagram ACM Neto

As cúpulas de PSL e DEM realizam nesta quarta-feira (06/10), em Brasília, uma convenção coletiva para consolidar a junção entre as duas legendas. A fusão criará o União Brasil, partido que nascerá como um dos maiores do país e detentor da maior bancada na Câmara dos Deputados. A nova agremiação também terá força nos cofres: será a dona das maiores verbas dos fundos eleitoral e partidário no próximo ano. As informações são de Olavo Soares, da Gazeta do Povo.

A aliança, porém, não se dará sem problemas. O União Brasil não deverá contar com alguns dos membros atuais de DEM e PSL que são defensores da gestão do presidente Jair Bolsonaro e, mesmo entre os que permanecerão, divisões entre grupos governistas e oposicionistas tendem a ocorrer.

Uma das metas do novo partido mostra o conflito que ocorrerá em torno deste último aspecto. O União Brasil nascerá tendo entre seus objetivos lançar uma candidatura à Presidência da República nas eleições do próximo ano. Três nomes se apresentam: o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e o jornalista José Luiz Datena (PSL-SP).

Como consolidar, porém, uma candidatura em um partido que tem nomes tão apegados ao governo Bolsonaro, como os ministros Onyx Lorenzoni (Trabalho) e Tereza Cristina (Agricultura) e os parlamentares Marcos Rogério (DEM-RO) e Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ)?

A solução, segundo o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, será a de aprovar a candidatura presidencial, mas sem impor o apoio ao cabeça de chapa a todos os filiados. A ideia é que os integrantes do União Brasil se sintam livres para seguirem diretrizes locais na hora de determinarem seu voto para a Presidência da República.

ACM Neto, atual presidente do DEM, deverá ser o secretário-geral do novo partido. A presidência ficará com o deputado federal Luciano Bivar (PE), presidente nacional do PSL. O arranjo dará ao União Brasil uma cúpula 100% nordestina, algo ainda raro na política nacional.

A numeração escolhida pela legenda é o 44. O número, até a eleição de 2018, era utilizado pelo PRP, que foi extinto em 2019.

Da Gazeta do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *