COM MENOS TURISTAS, COMÉRCIO DO LITORAL SOFRE PARA RECUPERAR PERDAS DA PANDEMIA

COM MENOS TURISTAS, COMÉRCIO DO LITORAL SOFRE PARA RECUPERAR PERDAS DA PANDEMIA

Todos os anos, comerciantes e empresários do Litoral do Paraná aguardam com ansiedade a chegada do verão. Com a temporada de calor e férias, uma grande quantidade de turistas se desloca para as praias, movimenta a economia e garante reforço no caixa para os meses subsequentes. Mas a temporada 2020/21 está sendo diferente. A pandemia do coronavírus reduziu o fluxo de visitantes e, consequentemente, impactou o faturamento daqueles que dependem do turismo para se manter. As informações são de Anderson Gonçalves, da Gazeta do Povo.

Somente nas festas de fim de ano, os municípios litorâneos receberam 700 mil pessoas a menos em relação a 2019, segundo estimativa da Polícia Militar do Paraná (PMPR). A percepção até o momento varia de acordo com a cidade, mas é consenso que será difícil recuperar as perdas causadas pela pandemia na temporada atual.

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Matinhos (Acima), Adriano Menine, diz que o movimento nas últimas semanas acabou surpreendendo positivamente. “Esperávamos uma redução de 20%, 30% nas vendas em relação ao ano anterior, mas esse índice acabou ficando na casa de 10%”, afirma. De acordo com ele, apesar de a queda estar abaixo do esperado, os consumidores que chegam ao Litoral estão gastando menos em relação a outros anos.

Em Matinhos, o percentual de imóveis locados para a temporada, que chegava a 100% nas festas de fim de ano, até agora não ultrapassou 70%, segundo Menine. “Apesar do cenário positivo, ainda está muito aquém daquilo que precisamos. Alguns segmentos tiveram faturamento zero com a pandemia e sobrevivem da temporada, caso dos eventos e músicos, por exemplo. São setores com bastante dificuldade e que não estão conseguindo trabalhar de forma geral.”

Para os comerciantes de Pontal do Paraná, o cenário é mais desolador. O presidente da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Pontal do Paraná (Aciapar), Ercio Luiz Weschenfelder, calcula que as perdas em relação ao ano anterior podem chegar a 40%. “Nosso comércio sofreu muito com essa pandemia. Pontal já tem uma economia temporária, que diminui bastante no inverno. Sempre existe a expectativa de recuperar o faturamento no verão, mas nesse ano atípico não temos como afirmar nada sobre como será”, ressalta.

Diretora de Projetos e Eventos da Associação Comercial e Empresarial de Guaratuba (Acig), Ana Cecília da Mota Dias confirma a queda no movimento, mas diz que ainda não tem números dos efeitos da pandemia sobre o fim de ano. De acordo com ela, as vendas antes do Natal foram boas, mas a tendência é que as próximas semanas não sejam das melhores. “A minha percepção individual, como comerciante, é que em janeiro vamos sentir mais os efeitos da pandemia, com as pessoas menos capitalizadas. Não sabemos ainda como vai ser o carnaval, mas a tendência é de um comportamento similar ao do final do ano”, acredita.

Foto: Arnaldo Alves / AEN

Da Gazeta do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *