CINCO PROCURADORES DA LAVA JATO GASTARAM R$ 3,8 MILHÕES EM DIÁRIAS E PASSAGENS

CINCO PROCURADORES DA LAVA JATO GASTARAM R$ 3,8 MILHÕES EM DIÁRIAS E PASSAGENS

Apenas cinco procuradores destacados para integrar a força-tarefa da “lava jato” em Curitiba, encerrada nesta semana, foram responsáveis por quase metade dos gastos com diárias e passagens ao longo dos sete anos que durou o arranjo informal. O levantamento foi feito pelo site Poder360, com base em dados da Lei de Acesso à Informação (LAI).

No total, foram gastos R$ 7,5 milhões com diárias e passagens durante o período. Metade dessa quantia (R$ 3,8 milhões) foi usada para reembolsar despesas de cinco procuradores:

– Januário Paludo (que reembolsou R$ 712.113,87 em diárias e R$ 165.142,75 em passagens). Paludo foi o que mais recebeu diárias (699 ao todo). Segundo a assessoria de imprensa do MPF (Ministério Público Federal), todos esses gastos foram autorizados pela portaria 41 de 2014.;

– Antonio Carlos Welter (R$ 667.332,31 em diárias e R$ 246.869,51 em passagens);

– Orlando Martello Junior (R$ 609.396,56 em diárias e R$ 154.147,25 em passagens);

– Diogo Castor de Mattos (R$ 545.114,53 em diárias e R$ 25.054,49 em passagens); e

– Carlos Fernando dos Santos Lima (R$ 505.945,81 em diárias e R$ 143.598,03 em passagens).

Essa desproporção gritante se deve ao fato de que eles foram requisitados de outras cidades para trabalhar na “lava jato”. Muitos deles nunca se mudaram definitivamente para Curitiba e passaram anos gerando gastos com os deslocamentos, estadias, refeições.

Em resposta aos questionamentos do repórter Guilherme Waltenberg, do Poder360, o Ministério Público Federal se limitou a dizer que os gastos estão dentro da legalidade, mas não explicou por que os procuradores não se mudaram para Curitiba, para reduzir essa quantia.

Viagens
O levantamento da reportagem ainda mostra que, até 2020, a força-tarefa registrou 2.585 deslocamentos nacionais e internacionais. Ao exterior, foram 49 viagens, entre elas 13 para os Estados Unidos, 13 para a França e seis para a Suíça.

DISTRIBUIÇÃO DE GASTOS TOTAL DE 2014 A 2020:

Diárias
R$ 3 milhões só dos 5 procuradores
R$ 2,7 milhões dos demais

Passagens
R$ 0,7 milhão só dos 5 procuradores
R$ 1,1 milhão dos demais

Custo total
R$ 3,8 milhões só dos 5 procuradores (considerando todas as casas decimais omitidas nos arredondamentos)
R$ 3,7 milhões dos demais

Os 5 procuradores concentram 50,7% dos gastos em deslocamento de 7 anos de operação

Foto: Reprodução RPC

Com informações do Poder 360 e Conjur

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *