Aurélio Munhoz

Aurélio Munhoz

Aurélio Munhoz é graduado em Jornalismo pela UEPG-Universidade Estadual de Ponta Grossa (1991) e em Ciências Sociais pela UFPR- Universidade Federal do Paraná (1995). É especialista em Sociologia Política pela UFPR (2004) e em Comunicação Organizacional pela FAE Business School (2010). É mestrando em Comunicação Política da UFPR. Jornalista profissional, é assessor de Comunicação da AMP (Associação dos Municípios do Paraná), consultor em Relações Governamentais do Complexo Hospitalar Pequeno Príncipe, secretário da ONG Instituto Educacional Eureka, integrante do Grupo de Pesquisa em Comunicação Eleitoral da UFPR e membro efetivo do Conselho Permanente de Direitos Humanos do Paraná. Foi professor colaborador de Jornalismo na UFPR (2000 a 2002) e assessor de Comunicação da UFPR (2014 a 2018). Atuou nas Assessorias de Comunicação do Governo do Paraná, Uvepar (União dos Vereadores do Paraná) e de vários deputados federais. Foi repórter, editor e articulista de Política, de Economia e de Cidades em veículos como: revista Carta Capital, Rede Mercosul de TV e o jornal O Estado do Paraná.

O PROTAGONISMO DAS RELIGIÕES NA ELEIÇÃO DE 2020

O PROTAGONISMO DAS RELIGIÕES NA ELEIÇÃO DE 2020

O escancarado movimento dos partidos de praticamente todos os matizes ideológicos em direção às religiões sempre existiu, mas deve se acirrar em 2020. Tanto que, a julgar pela movimentação dos partidos até agora, pode-se dizer que as religiões terão papel de protagonistas nas eleições municipais de outubro. Faz sentido. Embora os ateus correspondam a 8% da população e outros 3,2% sejam indefinidos neste quesito, nada menos que 88.8% dos brasileiros declaram-se praticantes de alguma religião, segundo o Censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Leia mais

SOBRE PARASITAS E CÍNICOS

SOBRE PARASITAS E CÍNICOS

O ministro da Economia, Paulo Guedes, está se destacando no Governo Federal por uma característica que nada tem a ver com o seu papel: o cinismo. Homem a serviço do setor privado no cargo de ministro da Economia, que enriqueceu especulando no mercado financeiro durante o tempo em que atuou na Pactual DTVM, Guedes coleciona um rol de frases capazes de corar os rostos até dos mais ferrenhos neoliberais. A última delas foi seu ataque aos servidores públicos, que classificou de “parasitas do Estado”. A Leia mais

ELITES JÁ TÊM CANDIDATO A PRESIDENTE DOS SONHOS EM 2022

ELITES JÁ TÊM CANDIDATO A PRESIDENTE DOS SONHOS EM 2022

Passados apenas 13 meses desde o início do governo de Jair Bolsonaro, a batalha pela sucessão do presidente da República não apenas já começou, como ganha contornos bem definidos – e bem planejados. Um deles é a clara opção de boa parte dos barões da mídia e da elite econômica brasileira por um pré-candidato a presidente com potencial explosivo de votos: o apresentador de TV e empresário Luciano Huck, da Rede Globo. Não sem motivos. Fora os candidatos derrotados nas eleições presidenciais de 2018 (como Leia mais

DA NECESSIDADE DE SERMOS INTOLERANTES COM FASCISTAS

DA NECESSIDADE DE SERMOS INTOLERANTES COM FASCISTAS

Treze meses após a posse de Jair Bolsonaro na Presidência da República, nenhum brasileiro sensato tem dúvidas de que a democracia brasileira vive seu pior momento dos últimos 56 anos, se tomarmos o AI-5 (Ato Institucional 5) como o ponto máximo da truculência e do autoritarismo impostos pela ditadura militar que se instalou no Brasil, em março de 1964. Neste pouco mais de um ano de mandato, Bolsonaro promoveu claros e graves retrocessos nas conquistas que os trabalhadores obtiveram, à custa de muito diálogo e Leia mais

UMA NOVA AMEAÇA À EDUCAÇÃO BÁSICA

UMA NOVA AMEAÇA À EDUCAÇÃO BÁSICA

Mereceu apenas um discreto registro, na imprensa nacional, um tema de extrema relevância no debate sobre o futuro da Educação básica brasileira: o fim do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação). Mais importante fonte de financiamento da educação básica, com receita anual de aproximadamente R$ 170 bilhões, o Fundeb tem validade até dezembro de 2020. O Fundeb é formado por recursos de municípios, dos Estados e da União. Sua distribuição é feita de acordo com Leia mais

AS FORÇAS ARMADAS SE RENDERAM AO FISIOLOGISMO

AS FORÇAS ARMADAS SE RENDERAM AO FISIOLOGISMO

A cúpula das Forças Armadas brasileiras vive um dos seus piores momentos, do ponto de vista ético e da sua sintonia com a Constituição Federal. Nada que supere os horrores da ditadura imposta pela elite fardada em março de 1964, que durou longos 21 anos e promoveu uma onda de violência e de restrição de direitos políticos sem precedentes na História do País. Nem por isso, entretanto, a postura atual dos oficiais do Exército, da Marinha e da Aeronáutica deixa de ser menos vergonhosa e Leia mais

PELO VOTO (MAIS) RESPONSÁVEL NAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS

PELO VOTO (MAIS) RESPONSÁVEL NAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Mereceu apenas um discreto registro, na quase totalidade dos veículos da imprensa nacional, pesquisa veiculada em dezembro pelo Instituto Datafolha sobre a imagem do Congresso Nacional. Embora o resultado da sondagem fosse previsível, seus dados não foram menos assustadores. De acordo com o Instituto Datafolha, a reprovação dos entrevistados aos 513 deputados e 81 senadores subiu de 32% em agosto para 45%, no mês passado. Os números mostram que a imagem do Congresso Nacional não poderia ser mais negativa – e está piorando, gradualmente.    Leia mais

UM ARREMEDO DE DITADURA SEM TANQUES NAS RUAS

UM ARREMEDO DE DITADURA SEM TANQUES NAS RUAS

Há um ano no cargo, o presidente Jair Bolsonaro não deixa mais dúvidas de que fracassou rotundamente na sua tentativa de convencer o povo brasileiro da sua capacidade técnica e política de resolver os gravíssimos problemas brasileiros. Embora o Datafolha tenha apontado estabilização da fatia do eleitorado que considera seu governo ruim e péssimo (36%) – pior percentual entre todos os presidentes pós-redemocratização -, o capitão no exercício da Presidência da República segue sem apresentar alternativas concretas e eficazes capazes de tirar o Brasil da Leia mais

POR UM BRASIL COM MENOS CARIDADE – E MAIS JUSTIÇA SOCIAL

POR UM BRASIL COM MENOS CARIDADE – E MAIS JUSTIÇA SOCIAL

Trafego na contramão da maioria, quando o assunto são as festas de final de ano. Sou dos que respeitam, mas não pintam com as tintas da sacralidade, os rituais de Natal e do ano novo. Penso que o povo tem o direito de festejar – e eu de respeitar suas escolhas. Não é culpa do meu agnosticismo. Nem do calendário. Nem do Papai Noel. Menos ainda, claro, de Jesus. Talvez seja minha rabugice. Mas insisto que não, no textão que ofereço aos leitores e leitoras. Leia mais

O TRIUNFO DAS FAKE NEWS

O TRIUNFO DAS FAKE NEWS

Passou quase incólume, na grande mídia nacional, uma informação de enorme importância no debate sobre um dos temas da vez na agenda política nacional: as fake news. Trata-se da notícia, veiculada pela Agência Brasil, de que o WhatsApp é a principal fonte de informação de 79% dos brasileiros. Resultado de pesquisa feita pela Câmara dos Deputados e pelo Senado, a matéria informa ainda que o WhatsApp – rede social que possui mais de 136 milhões de usuários no Brasil – fica à frente de todos Leia mais