CASO DO EMPRESÁRIO QUE SE ACORRENTOU NA CAIXA EM CURITIBA CHEGA A PAULO GUEDES

CASO DO EMPRESÁRIO QUE SE ACORRENTOU NA CAIXA EM CURITIBA CHEGA A PAULO GUEDES

Chegou ao Ministério da Economia, na manhã desta terça-feira (14/07), o caso do empresário curitibano que se acorrentou numa agência da Caixa Econômica em protesto contra a não liberação de empréstimo emergencial prometido pelo governo federal para socorrer micro e pequenas afetadas pela pandemia do coronavírus.

Relator da Medida Provisória 958, que facilita o acesso ao crédito nesse período de pandemia, o deputado federal Rubens Bueno (Cidadania-PR) manteve reunião com assessores do ministro Paulo Guedes e usou como exemplo das dificuldades enfrentadas por pequenos comerciantes o drama vivido Arlindo Ventura, o Magrão, dono do bar O Torto no tradicional bairro boêmio São Francisco.

Arlindo está pleiteando desde fevereiro um crédito de R$ 55 mil, mas, quase cinco meses depois, ainda não obteve a liberação do recurso administrado pela Caixa. Com três funcionários e fechado por conta do isolamento social, o empresário garantiu que não tem como continuar e que chegou no seu limite. “Eu não demiti ninguém, mas estou no meu limite”, ressaltou.

Por meio do link de uma matéria a respeito, publicada no site paranaense Contraponto, assessores do gabinete do ministro Paulo Guedes prometeram ao deputado Rubens Bueno levar à direção da Caixa Econômica o caso do bar O Torto – semelhante a milhares de outros no país. A Medida Provisória prevê a dispensa de uma série de certidões (receita, INSS etc) que tornam quase impossível a liberação dos créditos prometidos.

Do Contraponto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *