CAMPINA GRANDE DO SUL DECRETA ‘LOCKDOWN’ EM 3 LOCALIDADES RURAIS

CAMPINA GRANDE DO SUL DECRETA ‘LOCKDOWN’ EM 3 LOCALIDADES RURAIS

A Prefeitura de Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, decretou nesta quarta-feira (13/05) o “lockdown” em três localidades da área rural da cidade, para conter a pandemia da Covid-19.

Embora não tenha uma definição única, o lockdown é, na prática, a medida mais radical imposta por governos para que haja distanciamento social – uma espécie de bloqueio total em que as pessoas devem, de modo geral, ficar em casa.

Campina Grande do Sul tem pouco mais de 43 mil habitantes e registrou 12 casos de coronavírus e três mortes. O decreto, assinado pelo prefeito Bihl Elerian Zanetti, suspende todas as atividades não essenciais nas localidades de Barragem do Capivari, Ribeirão Grande e Jaguatirica.

“As medidas têm por objetivo a contenção do avanço descontrolado da pandemia do coronavírus (Covid-19) por todo o território municipal”, diz o documento.

A secretária de Saúde da cidade, Andiara Filippin, afirmou que a medida foi necessária tendo em vista critérios epidemiológicos que apontam a circulação acelerada do vírus na região.

“Essa região também é porta de entrada do estado de São Paulo. Estamos preocupados em proteger a saúde da população e adotaremos, sim, medidas mais restritivas sempre quando forem necessárias”, afirmou ela.

O decreto ainda determina toque de recolher, a partir das 19h. Conforme o documento, fica proibida a circulação de pessoas nos três bairros pelo prazo de 15 dias, podendo ser prorrogado de acordo com a situação epidemiológica do município.

Está proibida a circulação de pessoas, “salvo por motivo de força maior”, justificada nos seguintes casos, conforme o decreto:

  • Para aquisição de gêneros alimentícios, medicamentos, produtos médico hospitalares, produtos de limpeza e higiene pessoal;
  • Para comparecimento, próprio ou de outra pessoa, na condição de acompanhante, a consultas ou realização de exames médico-hospitalares, nos casos de problemas de saúde inadiáveis;
  • Para realização de operações de saque e depósito de numerário, e TV para realização de trabalho, do qual não tenha sido dispensado.

Segundo o decreto, os casos permitidos de circulação de pessoas é obrigatório o uso de máscara e a circulação de no máximo dois membros por família, quando necessário.

A circulação de pessoas nos casos permitidos deverá ser devidamente comprovada, inclusive com a apresentação de documento de identificação oficial com foto.

Estabelecimento essenciais

No decreto, estão autorizados a funcionar os seguintes estabelecimentos considerados essenciais:

  • Mercados e similares em sentido estrito;
  • Agropecuárias;
  • Farmácias;
  • Serviço funerário;
  • Transporte coletivo de passageiros, inclusive serviços de táxi e transporte remunerada privada individual;
  • Distribuidoras e revendedoras de gás;
  • Panificadora;
  • Postos de gasolina, comercio de prestação de serviços essenciais e fornecimento de alimentação, localizados às margens da Rodovia Regis Bittencourt (BR-116).

De acordo com o documento, enquanto perdurar o período de lockdown, é terminantemente proibido o funcionamento de comércio e atividades essenciais, inclusive de:

  • Academias, centros, quadras e eventos esportivos;
  • Igrejas e cultos religiosos
  • Salão de beleza, barbearia e semelhantes;
  • Loja de vestuários e acessórios;
  • Lojas e atividades de diversão, lazer e entretenimento.

O documento ainda aponta que os bares, tabacarias e semelhantes deverão permanecer suspensos até nova revisão pelo Poder Executivo Municipal.

Também está terminantemente proibida a circulação de pessoas sem o uso de máscara e a visita em casas e prédios.

Por tempo indeterminado, para esses locais, fica decretado ainda o distanciamento social ampliado, com familiares que causem qualquer tipo de aglomeração com pessoas que não pertençam à mesma casa.

As obras de engenharia e outros serviços públicos que possam funcionar em ambientes externos estão autorizadas, desde que, adotadas todas as medidas de segurança, protocolos sanitários de saúde e higiene, e também as medidas para coibir aglomeração de pessoas no local.

Foto: Reprodução

Do G1 Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *