“BUSCO FAZER O QUE ESTÁ DANDO CERTO NO MUNDO, RESPEITO A CIÊNCIA”, DIZ RATINHO JR

“BUSCO FAZER O QUE ESTÁ DANDO CERTO NO MUNDO, RESPEITO A CIÊNCIA”, DIZ RATINHO JR

Pouco mais de dois meses depois das primeiras confirmações de casos de Covid-19 no Paraná, o governador Ratinho Júnior (PSD) afirma que o estado tem um bom planejamento estratégico para combater o avanço do novo coronavírus e busca replicar metodologias que deram certo em outros países. As informações são do G1 Paraná.

“Discuto metodologia e não ideologia. Buscamos o que está dando certo no mundo para fazer aqui no Paraná, respeito a ciência” , disse o governador.

Os primeiros casos da doença no estado foram registrados no dia 12 de março. Desde então, o vírus se espalhou e, até segunda (18/05), de acordo com o boletim da Secretaria Estadual da Saúde, 179 cidades paranaenses tinham pelo menos um diagnóstico confirmado.

Neste período foram confirmados 2.360 casos de Covid-19 em moradores residentes no estado e 127 mortes provocadas por complicações da doença.

Desde março, o governo tem adotado diversas medidas para conter o contágio e evitar uma crise econômica.

De acordo com o governador, neste momento, não pode haver política. “Temos que trabalhar com critérios técnicos. Cada cidade tem uma realidade distinta. As estratégias para cada cidade são diferentes”, destacou.

“Não é o presidente, governador ou prefeito que vai ganhar essa guerra. É toda a sociedade que vai ganhar.”

Ratinho Júnior mencionou que foi lançado um plano de assistência social, com distribuição de merenda escolar e de auxílio emergencial de R$ 50 e proibição de corte de luz e água.

Na área econômica ainda foi dada isenção do pagamento de Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) para os micro e pequenos empresários.

Ratinho Júnior afirmou que o governo está apostando em manter um equilíbrio entre salvar vidas de paranaenses e não deixar o setor produtivo desassistido.

“Temos que trabalhar como se tivéssemos um passarinho na mão, se apertarmos demais criamos um problema e se soltamos perdemos o controle. As nossas indústrias não pararam. Queremos que o setor produtivo trabalhe seguindo protocolos para não prejudicar a economia e nem os trabalhadores”, disse o governador.

Com a redução de circulação de pessoas e de vendas, o estado teve uma queda de arrecadação de R$ 400 milhões no mês de março, em maio a previsão de diminuição de R$ 700 milhões. O governo estima que a perda de arrecadação total em 2020 será de R$ 3,2 bilhões.

“Estamos buscando um empréstimo, junto do Governo Federal, de R$ 1,6 bilhão para realização de obras de infraestrutura em todo o estado. A Cohapar tem um pacote para construção de casas populares. Para todas as obras será necessária a contratação de mão-de-obra”, explicou.

Com a aprovação do Congresso Nacional e sanção do Presidente Jair Bolsonaro, o Paraná ainda deve receber um repasse de R$ 1,9 bilhão que faz parte do plano do governo federal de ajuda a estados durante a pandemia.

Ratinho Júnior disse que o recurso será utilizado para pagamento dos salários dos servidores. A Secretaria Estadual de Saúde tem quase R$ 500 milhões reservados para ações de combate à Covid-19.

“Queremos evitar o lockdown, sabemos dos problemas econômicos. Mas, não podemos tratar um momento de anormalidade como algo normal. A normalidade deve voltar só depois de agosto. Vamos sair dessa crise com menos prejuízos de vidas”, afirmou o governador do Paraná.

Subnotificação
Ratinho Junior foi questionado sobre a subnotificação de casos e mortes causadas pela Covid-19. Por exemplo, conforme dados dos cartórios com base em certidões de óbito, o estado tem 294 mortes pela doença ou com suspeita – número bem superior ao oficial.

Ele explicou que existe um hiato entre a morte e o teste ficar pronto, o que pode ocasionar uma demora para os registros serem oficializados.

“Nosso objetivo, e é um determinação que tenho passado, é que justamente a gente possa repassar à população aquilo que a gente tenha de maior realidade possível, no prazo menor possível, dessas informações”, afirmou.

Segundo o governador, proporcionalmente, o Paraná é o estado que mais vem testando a população. Nesta segundo, informou ele, o estado passa de 600 testes diários para cerca de 3,5 mil.

Ratinho Junior reconheceu que o patamar de testagem ainda não é o ideal e que tem trabalhado para melhorar isso. Segundo o boletim da Sesa, até esta segunda foram realizados mais de 21 mil testes.

O governador também reforçou a importância do isolamento social, diante falta de vacina e de remédio para cura da doença.

“O isolamento social é ainda a grande estratégia para combatermos o coronavírus”, disse Ratinho Junior.

Foto: Rodrigo Felix Leal / AEN

Do G1 Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *