ABSTENÇÃO CRESCE NO 1º TURNO DAS ELEIÇÕES E PASSA DOS 30% EM QUATRO CAPITAIS

ABSTENÇÃO CRESCE NO 1º TURNO DAS ELEIÇÕES E PASSA DOS 30% EM QUATRO CAPITAIS

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou, ainda na noite de domingo (15/11), que 23,14% dos eleitores não compareceram às urnas no primeiro turno das eleições de 2020. O índice é superior tanto ao registrado nas últimas eleições municipais – em 2016, o índice de abstenção foi de 17,58% no primeiro turno; em 2012, de 16,41% – quanto ao do último pleito presidencial, em que 20,32% do eleitorado não foi votar. As informações são de Giulia Fontes, da Gazeta do Povo.

O aumento na taxa de abstenção já era esperado, visto que, além de a taxa já estar em tendência de aumento, 2020 teve dois fatores excepcionais: a pandemia do novo coronavírus e a possibilidade de justificativa de voto pelo celular. Ao comentar o índice, o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, avaliou que o número foi “extraordinário”. “Nas últimas eleições [a abstenção] foi mais de 20% e nesta eleição, 23%, em meio a uma pandemia. Mais um fator que precisamos comemorar”, disse Barroso ainda no domingo.

Quando olhamos apenas para as capitais, no entanto, quatro cidades tiveram taxa de abstenção de mais de 30%, segundo os dados do TSE: Porto Alegre (33,08%), Rio de Janeiro (32,79%), Goiânia (30,72%) e Curitiba (30,18%). Em São Paulo, a parcela de eleitores que decidiu não votar em 2020 chegou a 29,3%.

Na comparação com 2016, foi Florianópolis a capital em que a taxa de abstenção mais cresceu em pontos percentuais: no pleito anterior, 12,25% do eleitorado não compareceram ao primeiro turno; em 2020, foram 28,65%. Em Vitória, o índice saltou de 10,76% para 25,45%.

Foto: Antonio Augusto/Ascom/TSE

Da Gazeta do povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *